Programa Quadrinhos: A Cidade da Luz

 

INIO ASANO NOS MOSTRA QUE AS HISTÓRIAS MAIS INUSITADAS PODEM ESTAR EM NOSSO COTIDIANO… Uma área residencial é criada nos arredores de Tóquio e chamada de “Cidade da Luz”. Lá, grandes edifícios coexistem com casas antigas e presenciam o cotidiano de seus habitantes. Nesta compilação de histórias ora sombrias, ora felizes, ora trágicas, o aclamado autor Inio Asano entrelaça os destinos de pessoas que nem sempre são tocadas pelos raios de sol que banham a cidade em que vivem.

Anúncios

Programa Quadrinhos: Chico Bento Moço

Chico Bento cresceu e agora se prepara para deixar a Vila Abobrinha para fazer faculdade de Agronomia em outra cidade. Então, ele decide visitar lugares e pessoas para se despedir, enquanto se prepara para viver uma grande aventura!

Programa Quadrinhos: Aya de Yopougon

Título: Aya de Yopougon
Autora: Marguerite Abouet
Ilustrador: Clément Oubrerie
Editora: Sextante
Ano: 2009
Páginas: 112

Esqueça tudo o que você já ouviu sobre a África, pois este é um livro que vai mostrar uma outra visão das pessoas que vivem por lá. Em Yop City (é assim que o pessoal chama o bairro de Yopougon), na Costa do Marfim, não se ouve falar de guerra civil, aids ou fome. O que se ouve são as  confusões de três amigas, Aya, Bintou e Adjoua, que vivem os mesmos dilemas de tantas outras jovens de sua geração: garotos, festas e dúvidas sobre o futuro.

Esta crônica do cotidiano na costa-marfinense no fim dos anos 70 é um pouco do que a própria autora Marguerite Abouet vivenciou, contado de uma maneira sensível e cheia de humor, retratado com incrível vivacidade pelos desenhos de Clément Oubrerie. A beleza de Aya está na sonoridade, nas cores africanas e nos sabores que saltam das páginas, como o aroma da sopa de amendoim (cuja receita, aliás, pode ser lida no “bônus marfinense” ao final do livro). Uma África desprovida de clichês, um retrato social sensível, uma história de amor e amizade.

Uma morte horrível – Pénélope Bagieu

Edson, obrigada por sempre me apresentar quadrinhos excelentes que eu jamais compraria por minha conta.

Esta semana tive o prazer de ler Uma Morte Horrível, de Pénélope Bagieu. A história é despretenciosa e fluida. E a arte é linda, com uma cartela de cores muito bem escolhidas para cada cenário. A história é uma comédia romântica recheada de ironia e com aquele toque francês que torna tudo mais charmoso e interessante.

Zoé é uma garota comum com uma namorado babaca, machista e desempregado. Trabalha como hostess em tempo integral, o que garante muito cansaço, estresse e uma boa dose de situações constrangedoras. Frustrada com a vida que leva, ela conhece Thomas, um escritor famoso, charmoso, e estranho, que está passando por uma crise de inspiração.

Enquanto ela é extrovertida e não saca nada do universo literário, ele é tímido e muito culto. Eles acabam se dando bem e embarcam em um relacionamento estável. Pelo menos até a chegada da editora de Thomas e a descoberta de segredos terríveis.

Chega em um momento em que tudo que se consegue dizer é: mas que porr@ é essa? Simplesmente surpreendente. Mas como diz o Edson: Leia sem folhear antes. O quadrinho é muito gráfico e folhear ele corta o barato.

uma-morte-horrivel

Sinopse: Zoé trabalha em excesso e ainda precisa suportar o namorado desempregado e grosseiro. Até que cruza o caminho de Thomas, um escritor de sucesso à procura de inspiração.

Nada intelectual, ela não sabe diferenciar Balzac de Batman, mas vai ter que ficar esperta… porque Thomas esconde um segredo que coloca Zoé no meio do que pode se tornar o escândalo literário do século.

De uma das quadrinistas mais conhecidas da França, Uma morte horrível é uma história de amor e ambição com uma heroína inesquecível.

mortehorrivel3

Quem também fala sobre este quadrinho: Isabela do Universo dos Leitores, a Isabelle Simões do Delirium Nerd, a Luciana do Garotas Geek e a Roberta do Minas Nerd.

E sim, é um morte horrível.