Coração é Terra que ninguém pisa


Sabe aquele carinha que você odeia e ama, tudo ao mesmo tempo? Adora e não suporta? Admira profundamente e te dá a certeza que poderia esganá-lo? Te deixa louca de tesão e gelada de irritação? Aquele que todo mundo diz que você vai casar, mas nem consegue se imaginar namorando?


Aquele que quando está perto de você te faz ter plena consciência do seu próprio corpo? De seus próprios gestos? E dele… Do cheiro dele. Da textura da pele dele. Do calor…

Aquele que você não precisa ver prá saber que está ali? Que você sente antes de ver? Que faz com que faíscas e raios emanem do ar entre ambos? Que torna o ar irrespirável e, ao mesmo tempo, os momentos ao seu lado leves e divertidos?

Sim. Eu conheço um tipo assim.
Ele reúne defeitos irritantes.
Se acha o último trakinas do pacote.
Troca de ficante/namorada como quem troca de cueca.
Espalha os próprios defeitos aos 4 ventos.
É imprevisível.
Atrevido.
Irritante.
Extremamente grosseiro quando quer!
Pensa que é mais inteligente que todos!
E nunca, nunca chega junto!
Nunca!

Admito, ele tem qualidades…
É inteligente.
Charmoso.
Atento.
Eu acho ele bonito (mas meu mau gosto já é conhecido).
Carinhoso.
Protetor.
É um cara família e super respeitador.
Um gentleman quando decide ser.
Divertido.
Eu não consigo dominá-lo, controlá-lo.
E sempre me deixa com a sensação de estar vendo minha alma quando me encara…
Fiquei muuuitoooo tempo sem vê-lo. Muito mesmo. Já tinha até esquecido essa contradição que ele me causa. Mas bastou saber que ele estaria no mesmo lugar para onde eu ia que pronto. As pernas baquearam no mesmo instante. E eu gelei de ansiedade.
E agora não tiro ele da cabeça. Sério. fanática mesmo. E já tentei até sacudir a cabeça bem violentamente pra ver se ela cai e vai embora!
Odeio me conscientizar que essa tipo irritante e sacana me chama atenção. Saber que gosto dele e ter verdadeiro pavor só de pensar nas implicações disso.
Acho que eu sou neurótica.
Ponto.

O convite…


“Não sou a areia onde se desenha um par de asas

ou grades diante de uma janela….



Não sou apenas a pedra que rola nas marés do mundo,

em cada praia renascendo outra.



Sou a orelha encostada na concha da vida,

sou construção e desmoronamento,

sou mistério.



A duas mãos escrevo este roteiro

para o palco de meu tempo: o meu destino e eu.



Nem sempre estamos afinados,

nem sempre nos levamos a sério.


Lya Luft – O Convite

Cansei de Mim


É, eu cansei de mim…
Cansei de todas aquelas baboseiras que eu chamo de Eu.
Cansei desse romântismo desvairado que só faz sangrar meu coração.
Cansei do meu sorriso bobo, simpático, que só me leva a encrencas com babacas que acham que toda mulher sorrindo, quer dar…
Cansei de ser boazinha, boa menina, honesta, ordeira e cordata.
Cansei de ser discreta.
Cansei de esconder meu corpo, meus seios, minha beleza, como se fosse criminosa…
Cansei de esperar ser amada.
Cansei de ser a mulher pra sempre desejada.
Cansei de esconder meus sonhos e desejos e anseios.
Cansei de ser boa filha, boa irmão, boa mulher.
Cansei de bancar a boba, a ingênua, inocente, só pra que me aprovem os desavisados de plantão.
Cansei de esconder minha própria inteligência apenas para não obscurecer você.
Cansei de ocultar que quero sexo apenas para atender a demanda social de que mulher que quer sexo só pode ser puta.
Cansei de ser menina, quero ser mulher.
Cansei dos meus medos, loucuras e pirações.
Cansei de minhas manhas e charmes infantis.
Cansei de evitar ser rotulada e esclarecer todos os mal entedidos.
Cansei de me restringir a mera espectadora de minha própria vida.
Cansei.
Cansei.
Simplesmente isso: cansei.
Cansei de mim, do meu Eu, do que vejo no espelho.
Cansei desses olhos ansiosos, dessa boca desejosa.
Cansei das mãos tensas, dos ombros doloridos.
Cansei dos velhos sonhos e das velhas realidades.
Cansei de não ser quem quero ser e sou.
Cansei dos pés pequenos e nervosos, do bumbum faceiro e tímido, dos seios ora orgulhosos, ora vergonhosos.
Cansei de sonhar e não realizar.
Cansei demais.
Cheguei num ponto onde não dá mais.
Ou eu mudo, ou virarei um fantasma a assombrar minha própria vida.
Ainda que não deva chamar isso de vida, pois nunca foi.
Essa é a vida que esperam de mim, não a que sonhei.
Então cansei.
De viver a vida de todos, menos a minha.
Cansei.

****

Não sei como esse cansaço vai afetar o Chocolat. Talvez seja uma influência benéfica. Talvez não. Mas tudo tem seu fim, começo e recomeço. Tudo tem sua hora. Meu tempo de mudanças chegou, e eu não quero morrer na praia como tantas pessoas por aí.

Nem sei como esse mesmo cansaço vai me afetar. Mas já há algum que ele vem chegando. se alojando. Hoje ele só começou a transbordar…

Erros e Acertos

[Será que a gente pode errar duas vezes?]


Errar no conceito psicológico:

“é educativo, didático, é a melhor forma de aprender: vivenciar”


Mas tudo isso tem um porém:
Nem sempre tudo aquilo que nos decepciona e nos faz quebrar a cara, após um periodo relevante e necessário de reflexão, é considerado algo errado…
È apenas algo que não é certo.
Existem contrários e contraditórios.
Se você errou, tire as coisas boas…

” Que coisas boas a gente tira de uma bela enfiada de pé na jaca?”
” – Ora, a experiência, de ter vivido, aprendido e superado.”


Tem coisa melhor que olhar para trás e ver que aquilo que antes enchia sua cabeça agora são caquinhos de um mero detalhe??
Dá uma saborosa sensação de plenitude…

Vamos aprender também com o erro dos outros, pois a vida é muito curta para errar tudo que a gente tem direito e aprender com esses erros…

Olhe para o lado e aprenda!

Eu

[Terei meu próprio par de asas!!!!!]


Por puro mérito ou por indução.
Cujo vôo se levanta
Desses
que me dão a sombra
De onde eu cresço.

Precisarei delas para ir mais longe.
E sempre sigo em frente.
Olhando ao meu redor.

Não é preciso consenso nem arte,

Nem beleza ou idade,

A vida é sempre dentro e agora.
(a vida é minha para ser ousada)
A vida pode florescer
numa existência inteira.
Mas tem de ser buscada.
Tem de ser conquistada.
Assim como tudo
Que existe
de sentimentalidades.
O nascer de um sentir,
Acontece com
o anteceder de um gesto.
Seja ele o mais singelo,
Mas precisa existir.
Fruto de enganos ou de amor,
Nasço de minha própria contradição,
O contorno da boca,
A forma da mão,
O jeito de andar
(sonhos e temores incluídos)
Virão desses que me formaram.
Mas o que eu traçar no espelho
há de se amar também…
Segundo o meu desejo.
Considerando o acaso,
E porque não,
Finalizando com o destino democrático.


[Lya Luft, modificado]

Emocionalmente indisponível…

[Meu pensamento vai longe…]

Lista de alguns Luxos que todo mundo precisa ter na vida:

1-Tempo
2-Solidão
3-Natureza
4-Silêncio
5-Recolhimento
6-Criatividade
7-Afeto

Desfrutar a solidão!
Uma reação desproporcional desencadeia uma série de novos acontecimentos, as vezes nos dando conta de que estar só envolve a angústia, e que somos seres únicos e singulares, que um dia na vida, vamos morrer!

Tempo ao tempo!

Precisamos as vezes ficarmos só com nós mesmo, para aprender a ganhar mais liberdade, individualidade, fortalecendo o circulo com a existência, incluindo as perdas, conflitos, mistérios…

Acalmar o fluxo incessante dos pensamentos é fundamental.

De uma maneira ou de outra, deixamos de nos identificar com os próprios pensamentos e começamos a produzir Silencio!

Passo decisivo para a saúde mental e a etapa seguinte:

A conexão como mundo interior exige a tomada de consciência de si mesmo. Aristóteles já falava a 2,5 mil anos “em momentos difíceis, precisamos escutar a alma, e descobrir quais são nossos verdadeiros desejos”

Reestabelecer essa tal “conexão”com o mundo interno é um LUXO, porque lá dentro, tudo é pura potencialidade. Dentro de nós, tudo de que precisamos: amor incondicional, saúde, auto-estima, inteligência… Precisamos “só”descobrir como obter acesso a essa auto-satisfação interior.

“Penso 99 vezes e nada descubro, paro de pensar e a verdade me é revelada”

Não anestesie a coragem, não afaste as oportunidades, tente sempre e constante na busca dentro d si mesmo, as respostas, sentimentos e desejos de viver a vida que você sempre quis!

Para todos: NAMASTÊ!
[o Deus que existe em mim, saúda o Deus que existe em você]

Amor e medo

[Se eu disser que estou perdida, coração na mão, sem idéia do que fazer com ele e de tudo que eu guardo dentro dele, você me espera decidir?]

Sempre que ouvia aquela frase: “O medo de amar é o medo de ser livre…” do Beto Guedes, nunca imaginei aplicar essa frase à mim.

Mas sim, tive que aplicá-la e me conscientizar do quanto venho sendo medrosa. Do quanto tenho perdido por ter medo. Das oportunidades, dos sonhos, do desejo. Venho permitindo que meu medo seja maior que eu. Pois ultrassá-lo traria novos desafios, novos horizontes, novas caminhadas.

Sabe, às vezes me esqueço que meu futuro está em minhas mãos, que eu controlo meus passos, que colho o que planto. Me esqueço que para conhecer meu futuro basta analisar meu presente, relembrar o passado. Não é grande o mistério que envolve o desconhecido depois disso. Detalhes não são revelados, mas as linhas gerais ficam ali, expostas ao seu olhar.

Ainda bem que de tempos em tempos Deus me dá sacudidelas, quase me arranca a cabeça. E então eu acordo para essas duras realidades. Percebo o quanto sempre temi o amor. Pois na minha cabeça amar nos expõe. E tenho pavor de me expor. Mas como amar sem se expôr? Impossível. Dai, por hábito, me escondia.

Mas esqueço que melhor escudo que o amor não há. Que quando nos expõe, ele nos une profundamente à Deus, que nos protege com uma aura invisível. Então, que eu consiga superar meu medo de amar. E que Deus me auxilie nessa empreitada que, eu sei, durará muito tempo. Mas que valerá a pena a cada instante.

Eu tenho medo, muito medo de amar.
Medo de amar e ser correspondida.
Medo de desejar tanto que me doa esse desejo.
Medo que meu desejo só se saceie nos braços dele.
Medo de querer tanto que ele seja feliz.
Medo de levar problemas para a vida dele.
Medo de saber o quanto elpode me fazer bem.
Medo de me libertar desse medo que me corrói.
Medo da consciência de ser ele o estopim rumo à liberdade.
Medo das mudanças que esse amor trará.
Medo de sair do conforto do medo conhecido.
Medo desse sentimento poderoso.
Medo do amor e seus superpoderes curativos.
Medo desse elixir de felicidade.
Medo do meu medo.
E medo ainda mair desse medo ser maior que eu.
E de nunca conhecer tudo que eu temo.
Por que meu medo é meu.
E dele me desfaço quando quiser.
E me desfaço dele no presente.
Presente de coragem que me acompanhará.
Na certeza de um destino melhor.

Só eu sei

Porque so eu sei como ele continua a ter aquela forma de olhar que me põe a tremer.

Porque so eu sei como ele continua a saber onde tocar para me fazer cocegas.

Porque so eu sei como ele nunca se esqueceu que a indiferença me magoa

Porque so eu sei como ele continua fantastico.

Porque so eu sei como ele continua a ser um passado doce

Porque so eu sei como ele continha a ser um “desejo”

Porque so eu sei…

Porque so eu sei porque…

Porque so eu sei como…

Porque so eu sei que não o quero explicar a ninguem…

Porque ha coisas que não quero explicar…

[autor desconhecido]

Precisava tanto te dizer…


Que és especial demais!

Precisava tanto dizer,

Que te sinto tão em mim.

Que já tentei te esquecer,

Mas não consegui, não fui capaz.


Que existem pessoas que nos marcam,
Profundamente…

Que nos fazem feliz, só por existirem.

Por vezes, quando estou sozinha

Corro estradas sem fim sem tempo para chegar


A lado algum, deixo-me ir…somente,


E tu estás sempre presente


No meu pensamento, no peito, no sangue que me pulsa


Forte…, bem forte nas veias.

Tenho medo,

Que não saiba como fazer, para não te machucar


Para não me machucar,


Para que fique em nós, sempre


O que de melhor sabemos dar, partilhar e sentimos.



O teu receio afasta-me,

O teu medo, trava todo o meu desejo


De te dizer…em palavras, o que realmente sinto por ti.

És uma luz que me ilumina

Nas trevas que me rodeiam


Nos medos que me sufocam


Nas incertezas que me destabilizam.



Como poderei algum dia explicar-te,

Que és…a parte doce deste sonho pesadelo


De acreditar que te tenho em mim, ainda que nunca possas ser meu?!




Como é bom, beijar-te

Como me sinto segura quando me abraças…

Fazes com que esqueça toda a tormenta,

Que é um dia ter que acordar deste meu sonho.

[autor desconhecido]

Pequena dose de poesia

[Sou nova demais para velhos vícios]
June A

Hoje eu não descanço em paz, porque o que sai de dentro não deixa.
São dores, cores, sabores e sons.
Tenho medo dos fantasmas do pensamento
Tenho raiva dos perigos da alma
Tenho responsabilidades inadiáveis
Tenho loucuras intermináveis
Tenho dor, cor, sabor e som que não são meus
Tenho , tenho, tenho…..
Sou assim, sou assado
Posso e não posso
Quero e preciso
Serena e neurótica
Ridícula e bela
Observadora e altista
Consciente e inconseqüente
Insegura e convicta
Comum e imprevisível
Água e fogo num corpo só
Machuco e curo
Rio chorando
choro sorrindo
E tenho o maior coração do mundo
Irremediável e indiagnosticavel
Amável e odiável
Assim desse jeito mesmo
E daquele outro
Contraditória…
Sim! Eu reparo na maneira como você usa os talheres!!!
E por favor, nao palite os dentes na minha frente.
Eu adoro sinceridades
Mas odeio o peso dela sobre meus ombros
Se a mentira fere
A verdade mata
Eu abomino falsidades
Mas amo o conforto que elas trazem
Uma vez precisei lembrar de uma mentira
Não pude…..
Ela já tinha se tornado verdade!
Por isso escrevo, porque o dia que não o fizer, serei pleno e
nesse instante de momento da existência,
saberei que escrever não será mais preciso.
Os passarinhos continuam cantando,
Apesar dos pesares.