Pedofilia

Espero, honestamente, que ninguém chegue ao meu blog buscando pedofilia. Pois não me basta ser contra, luto ativamente contra esse crime hediondo.

De acordo com nossa querida Wiki, pedofilia é:

(também chamada de paedophilia erotica ou pedosexualidade) é a perversão sexual, na qual a atração sexual de um indivíduo adulto está dirigida primariamente para crianças pré-púberes ou não. A palavra pedofilia vem do grego παιδοφιλια < παις (que significa “criança”) e φιλια ( ‘amizade’; ‘afinidade’; ‘amor’, ‘afeição’, ‘atração’; ‘atração ou afinidade patológica por’; ‘tendência patológica’ – segundo oDicionário Aurélio).

No site ABC da Saúde Pedofilia tem os seguintes sinônimos:

abuso de menores, incesto, molestação de menores

Pior é que esse crime, antes tabu em nossa sociedade é extremamente comum. Estima-se que 1 a cada 10 mulheres sofreram esse crime. E uma mínima parcela denunciou… E estamos falando de dados não-oficiais! Há ainda os homens (que estão fora dessa estatística) e aqueles que sofreram de amnésia pós-traumática.
Há outro agravante terrível a esse crime: a confiança! A vítima desse crime sexual, psicológico e moral, confia no abusador, pois em 75% dos casos ele é alguém conhecido, principalmente parentes. A confusão que se forma na cabeça da criança é terrível! Pois alguém em quem ela confia e ama, faz mal a ela.
E quando alguém da familia acusa a criança de ser culpada do crime? De ser ela quem seduziu o agressor? Estou sonhando? Não, essa é uma realidade triste, que eu mesma visualizei diversas vezes no trabalho de palestras educativas sobre sexualidade. Pedofilia é um crime contra menores de 14 anos. E não é a toa não! Nunca, em nenhuma hipótese a criança seduz, provoca, etc.

Sinais de perigo:

  • torna-se retraída e isola-se das outras crianças.
  • dificuldades no relacionamento,
  • presenta repentina mudança de humor,
  • instabilidade afetiva (é mais agressiva, apresenta depressão, angústia ou apatia),
  • mudança repentina de comportamento,
  • medo de pessoas estranhas,
  • queda no rendimento escolar, devido à dificuldade de concentração,
  • medo de sair de casa.

“Se a criança não falar, através de palavras, ela vai denunciar que está sendo agredida nas brincadeiras, na convivência, enfim, no agir”

Consequencias mais comuns:

  • Sentimento de Culpa;
  • Sensação de que se está quebrado, sujo, impuro, incompleto;
  • Fobias (de público, do sexo oposto, do mesmo sexo, de ambientes específicos, de escuro…);
  • Agressividade;
  • Pesadelos;
  • Medo constante e indefinido;
  • Relacionamentos extremos (medo de se relacionar, abstinência, obssessão, compulsão sexual);
  • Visão do sexo como algo sujo, imundo, proibido;
  • Auto-estima extremamente baixa;
  • Depressão
  • Sensação de estar “marcado”;
  • Sensação de não-merecimento;
  • Tentativa de suicídio;
  • Tem muito mais… Liam mais nos sites do fim do post.

E quanto mais tempo dura o abuso, mais difícil é o tratamento psicológico. Mais profundamente arraigado estará os traumas que, invariavelmente, a criança encontrará.

E também de acordo com a Wikipédia:

Dos 13% de casos envolvendo abuso sexual a pesquisa demonstrou que: a) A idade da vítima: 2 a 5 anos – 49%, 6 a 10 anos – 33% b) 80% das vítimas tinham sexo feminino c) 90% dos agressores eram do sexo masculino
O adulto que comete violência sexual sempre pede para a criança guardar segredo sobre o que aconteceu usando diversas formas de pressão. É muito comum a criança se sentir culpada e até merecedora da violência em si, haja visto ela não ter estrutura mental suficiente para explicar tal ato cometido contra si. Aliado ao sentimento de culpa, a pressão psicológica exercida pelo perpetrador, o próprio laço de afeição entre estes (não se esqueçam que normalmente o abuso ocorre entre familiares).

Por que a pedofilia é um crime contra menores de 14 anos?

Primeiro porque toda criança, sem exceção, menor de 14 anos não tem estrutura física para qualquer tipo de relação sexual. Forçar uma relação dessa, ainda que o pedófilo diga que teve consentimento da vítima, resultará em danos físicos, ferimentos, etc.

Segundo porque toda criança, sem exceção, menor de 14 anos não tem estrutura mental para qualquer tipo de relação sexual. Ela não possui os moldes psicológicos essenciais para o envolvimento sexual. E mesmo que o pedófilo diga que obteve consentimento da vítima, ela não compreende todas as nunces do que é dito, falado ou insinuado.

E a vítima nunca provocará um adulto. O que pode acontecer é uma repetição, cópia do comportamento que ela observa à sua volta. Ela dará beijinhos na boca porque todos acham “bonitinho” ela dar beijinhos, e o pedófilo se aproveitará disso. Ela vai dançar músicas sensuais, pois essa música é comum, todos dançam, e quando ela dança todos acham “lindinho”. E por aí vai. A criança cresce sendo estimulada sexualmente, cresce sendo estimulada a namorar, como se namorar fosse motivo de ser feliz; fica infeliz quando está sem namorado (a), pois aprende que quem vive só é infeliz; uqer começar a namorar cedo, pois todos estimulam, acham “bonitinho”, engraçadinho, quando ela namora.
Enfim, a criança está cheia de minhcoas na cabeça, que acompanham ela a vida toda se ela não for esclarecida, e internalizar esse conhecimento.

Aos Pais:

Falem com seus filhos sobre sexualidade, leiam, pesquisem e expliquem. Não tenham medo de conversar. Se tiverem dúvidas ou não souberem como falar, levem ao psicólogo, falem com a professora. Vão ao posto de saúde e perguntem como falar com seus filhos. Sigam a lei universal: O menos é mais. Simples assim.

Aos internautas:

Apoiem a causa contra a pedofilia, denunciem se encontrarem algum site pedófilo!
Denúncia
No blog Brasil Contra a Pedofilia encontrei uma excelente descrição sobre como denunciar:

Quem suspeita de que uma criança ou adolescente está sendo vítima de violência doméstica pode fazer a denúncia no Conselho Tutelar ou no Ministério Público.

Outra opção é ligar para o Disque-Denúncia da Polícia Civil (0800-79-0147) ou para o disque 100. A ligação é gratuita e de abrangência nacional. O horário de funcionamento é das 8h às 22h, todos os dias da semana, inclusive feriados.

Sites, Artigos e Blogues interessantes:

http://webinsider.uol.com.br/index.php/2008/11/19/pedofilia/
Campanha Nacional de Campanha contra a Pedofilia

Procuradoria do DF
http://www.agenciadenoticias.pr.gov.br/modules/news/article.php?storyid=19272

AIDS

[A AIDS ainda está lá fora e ainda mata]

Me lembro que quando era pequena minha Mama tinha um amigo que tinha AIDS. Eu realmente não lembro o nome dele, mas lembro que, quando eu tinha uns 8 anos, ele era alto, grande, forte, bonito. Ele era muito divertido, e não ficou depre quando descobriu que era aidético, pelo menos não na frente das crianças.
Mas os anos foram passando, eu quando eu tinha uns 12 ele faleceu. Pneumonia dupla, mais um monte de doenças. Nunca vou me esquecer de como aquele homem grande e forte, foi diminuindo fisicamente, perdendo a força, ficando pálido, magro. Ele ainda sorria e brincava, mas não conseguia mais girar a gente no ar. Lembro das vezes em que visitei ele no hospital. Foram muitas vezes.
Eu não sei como ele pegou AIDS, também não lembro de todos os detalhes, mas eu aprendi naquela época a importância de se usar camisinha. A Mama, que sempre foi tranquila quando o assunto era sexo, que nos esclarecia e conversava francamente, tirando dúvidas e tal. Ela ficou muito triste com a morte do amigo dela, mas ela também sabe que ele nos deixou uma lição inesquecível.
Eu perdi outras pessoas conhecidas para a AIDS, mas nenhuma marcou tanto quanto aquele gigante brincalhão.

[Não confie na sorte]

Campanha pelo Bom Humor

Você já reparou como justamente no fim do ano – que deveria ser uma época de festas e alegria – aumentam o mau humor e as reclamações? Não deveria, afinal, para bom humor não há contra indicação, além de ser uma grande arma contra todos os percalços do dia-a-dia. Com ele fazemos mais amigos, somos lembrados por todos com carinho e afeição e os problemas tornam-se mais fáceis de resolver. O dia passa mais alegre e o sono chega muito mais tranqüilo.

E, no meio de tantas promessas de Réveillon e início do ano novo porque não tentar melhorar o seu humor?

“Aquele ranzinza”, “Já acorda mal humorado”, “Cara feia dá rugas”. Se estas são frases que algumas – ou muitas – vezes se aplicam a você é porque está na hora de cultivar um pouco desta característica apreciada no mundo todo: o bom humor.

Acorde para a vida – Para quê acordar com o pé esquerdo? Antes de sair da cama, lembre-se de um momento gostoso e/ou alegre. Melhore seu astral logo de cara, e deixe a cara feia em casa, bem escondidinha.

O trânsito não é só o caos – Engarrafamento, trânsito lento, um calor insuportável. É só isso que você consegue imaginar dentro do seu carro ou do ônibus? É difícil, mas procure abrir os olhos e enxergar mais longe. Veja os detalhes arquitetônicos daquela igreja antiga no final da avenida, pense na vida, ligue o rádio e curta aqueles minutos/horas como se você tivesse desejado passar uma hora apenas ouvindo música. Você vai se surpreender: pode ser ótimo….

Na paquera e no amor – No começo do namoro bom humor é fundamental, é a regra número um e todos a seguem. Mas depois a coisa muda. Pois não deixe: é o primeiro passo para que a paixão perca força e o amor a poesia.

Sorria a distância – Bom humor não é bom somente para as pessoas que estão fisicamente perto de você. Por isso, ao atender alguém ao telefone ou celular sorria – mesmo antes de falar “alô”. Quem estiver do outro lado não vai ver o seu rosto, mas sentirá seu sorriso na voz, saberá que você está de bem com a vida, e certamente terá mais prazer em dar o recado – qualquer que seja ele.

Página policial versus notícia ruim! Só reclamar da vida, da praia lotada, dos crimes da cidade, é muito chato e não há humor que resista a notícia ruim e reclamações sem fim. Por isso, evite ser o mensageiro do apocalipse e dê uma editada nas notícias ruins e comentários pessimistas.

Ganham você e o mundo – que não precisa de mais um reflexo ou partícula sequer de energia negativa.

[Fonte – Recebida por e-mail]