Programa Quadrinhos: Dora

Publicado em: setembro de 2016
Editora: Mino
Licenciador: Bianca Pinheiro
Categoria: Edição Especial
Gênero: Terror
Status: Edição única
Número de páginas: 132
Formato: (15,5 x 22,5 cm)
Preto e branco/Lombada quadrada

Preço de capa: R$ 37,00
Roteiro: Bianca Pinheiro
Arte: Bianca Pinheiro 

Sinopse: Dora nasceu diferente das outras crianças. Ela não chora. Desde pequena, tragédias acontecem à sua volta e, enquanto cresce, tudo fica pior. Quinze pessoas estão mortas. De quem é a culpa?

Bianca Pinheiro, em sua primeira graphic novel, narra do ponto de vista da mãe a história de uma menina silenciosa e de olhar estranho.

A Bianca Pinheiro entende que, para o tipo de terror que ela faz, quanto menos você entregar o jogo, mais envolto no mistério o leitor fica”, Paulo Cecconi (Balbúrdia) Segundo a mãe de Dora, na maternidade sua filha já expressava em seus olhos uma certeza que a acompanharia por toda a vida: “Ela nos olhava como se soubesse que precisava fugir”.
Os anos passaram, Dora sumiu e agora a mãe da garota precisa justificar a um detetive as 15 mortes atribuídas à filha.
As 128 páginas em preto e branco produzidas pela quadrinista Bianca Pinheiro para o álbum Dora retornam às livrarias pela editora Mino. Publicada em 2014 via financiamento coletivo na internet e esgotada logo em seguida, a HQ ganha nova capa e apresenta ao mundo uma história macabra produzida por uma das autoras de quadrinhos mais versáteis de sua geração. Dividida em 10 capítulos, a HQ acompanha em flashback a infância de sua protagonista.
Os leitores são apresentados à sua dificuldade de se relacionar com os colegas na escola, o medo que os vizinhos sentem dela e os vários incidentes que culminam nos eventos trágicos investigados pela polícia. A primeira tiragem do quadrinho chamou atenção da crítica especializada.
Em resenha publicada no site Universo HQ, o jornalista Marcelo Naranjo escreveu: “Se os quadrinhos de terror são tradição longíqua da HQ nacional, impressiona uma estreia no gênero no qual se fuja dos principais clichês, atingindo em cheio o que deveria ser o mote de qualquer obra que se dispõe a entreter: contar uma boa história. Parece fácil? Não é”.
O trabalho de Bianca Pinheiro em Dora também impressiona pelo contraste com seus títulos mais famosos. É uma proposta antagônica aos ares infantis da série Bear (Nemo) e do mais recente volume da coleção Graphic MSP, Mônica: Força (Panini). O tom sombrio do quadrinho relançado pela Mino tem diálogo explícito com o clássico Carrie, a Estranha do escritor Stephen King. O crítico do site Balbúrdia, Paulo Cecconi, ressaltou o principal atributo da HQ: “A Bianca entende que, para o tipo de terror que ela faz, quanto menos você entregar o jogo, mais envolto no mistério o leitor fica. É o tipo de coisa que faz muita gente gritar: ‘Eu não entendi isso, cadê a explicação?’, mas, a verdade é que não há necessidade. Tudo o que você precisa saber está bem ali”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s