Reflexões Noturnas

Screenshot_20181116-183705_Instagram

Recebi pelo Whats App.

Me pergunto como é possível gostarmos tanto de uma pessoa que mal conhecemos. Ou com que pouco convivemos.
Confesso que como Espírita eu sei a resposta. Coisas de vidas passadas. Mas ainda me surpreende esse gostar gratuito, desinteressado. Esse querer bem sem justificativa.
E quando somos correspondidos esse sentimento é uma benção que une as duas almas. Em amizade, em namoro, em casamento. Uma relação abençoada e feliz se estabelece.
Quando não somos, esse bem querer se torna um exercício de resignação diante da indiferença do outro.
É doloroso.
Mas nos permite aprender a respeitar os desejos e limites do outro. Nos permite aprender o esforço de cativar um carinho, um bem querer. Penso até que essa seja a sublime lição: cativar, com respeito, com carinho.
.
.
.
.
.
É eu vou gostar de você assim mesmo, de graça.
Te guardarei na memória afetiva, como alguém que me ensinou algo. Sem nem saber.
Te libertarei da minha mente para ir sem nunca saber do afeto que foi alvo.
Me permitirei guardar para mim os sonhos que acalentei e as doces emoções que sua simples existência me permitiram sentir.
A vida é assim.
Muitas pessoas nos ensinam, sem nunca saber que foram professores.
Segue seu caminho de luz. Te desejo o amor e bem querer que você me despertou.
Me desejo o mesmo.