O País das Mulheres – Gioconda Belli

Fonte: O que você está lendo

Título: O País das Mulheres
Autora: Gioconda Belli
Tradutora: Ana Resende
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 220
Editora: Verus
Edição: 1ª

SINOPSE:

Como seria um país governado somente por mulheres?

Depois de sofrer um atentado em praça pública, a brilhante e sexy Viviana Sansón – presidenta de Fáguas, pequeno país latinoamericano, acorda na semiobscuridade de um galpão. Ali, Viviana vai se deparando com objetos que perdeu ao longo da vida como um guarda-chuva, óculos escuros, uma toalha, um anel, entre outros. Cada objeto faz reviver nela uma lembrança.

Pelas memórias de Viviana, vamos conhecendo a história fabulosa do Partido da Esquerda Erótica (PEE) e de suas integrantes, todas convictas de que o poder exercido pelas mulheres, com humor e amor, pode alcançar o que em séculos o poder masculino não alcançou.

Como “as eróticas” chegaram ao poder? Quem atirou na presidenta? O que vai acontecer com esse governo atrevido composto exclusivamente de mulheres? Este é um romance provocador e divertido, cuja originalidade dará muito o que falar para mulheres e também para homens.

 

O que eu achei desse livro?

Eu não esperava muito do livro. Primeiro por não conhecer nem a autora nem o livro. Eu vi o livro na parte de promoções, li a sinopse, curti a capa e, pelo preço de R$10 achei que valia a pena levar e ver no que dava. Então minha expectativa era bem próxima de zero. Confesso que decidi levar pelo tema – um governo de mulheres, e nunca tinha lido um livro com uma proposta feminista.

Sobre a história

A escrita é bem fluida, bem escrita. E eu comecei bem animada a leitura. Mas a história demora a emplacar, e eu cheguei a desistir dele por uns dias. O problema aqui são os argumentos. Gente, um vulcão que reduz a testosterona? Sério? Nem contos de fadas são tão ingênuos! Mentira são sim.

Mas o fato é que tudo se resolve em um conto de fadas. Pouco é visto de esforço, de trabalho duro. As histórias complexas de algumas personagens, se perdem no meio de soluções mágicas que aparecem do nada. Todo o trabalho duro das personagens que compõem o PEE ficam como pano de fundo, algumas são apenas pinceladas, e isso realmente me incomodou. Perece que a autora optou por tentar algo mais comercial, mais “comestível” sabe? Como usar filé mignon para um hamburguer.

É um livro em que a história contada tem coerência, é coesa, mas não cativa pois perde todos os ganchos maravilhosos que tem.

Para saber o que outras pessoas acharam deste livro:

O que você está lendo – Gabriela Antunes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s