Arquivo | agosto 2017

Quem me roubou de mim? – Pe. Fábio de Melo

Livro-Quem-me-Roubou-de-Mim-Padre-Fabio-de-Melo-2340988.jpg
Título: Quem me roubou de mim?
Autora: Pe. Fábio de Melo
Editora: Planeta
Páginas: 2016
Edição: 2ª

 

SINOPSE:

Em “Quem me roubou de mim?” Padre Fábio de Melo aborda uma violência sutil, mas destruidora, que aflige muitas pessoas: o sequestro da subjetividade. Essa expressão pouco comum refere-se à privação que sofremos de nós mesmos quando estabelecemos com alguém, nas palavras do próprio autor, “um vínculo que mina nossa capacidade de ser quem somos, de pensar por nós mesmos, de exercer nossa autonomia, de tomar decisões e exercer nossa liberdade de escolha”.

Uma vez sequestrados, perdemos a capacidade de sonhar, ficamos impossibilitados de viver as realizações para as quais fomos feitos e não temos com quem reclamar. Precisamos, portanto, estar sempre atentos para que isso não nos aconteça pois, como escreve padre Fábio: “Nenhuma relação humana está privada de se transformar em roubo, perda de identidade, ainda que as pessoas nos pareçam bem-intencionadas. Um só descuido e as relações podem evoluir para essa violência silenciosa. Basta que as pessoas se percam de seus referenciais, […] que confundam o amor com posse, que abram mão de suas identidades, e que se ausentem de si mesmas”.

O que eu achei deste livro?

Você já foi seduzido por uma capa? Eu já. Muitas vezes. Esse livro, nesse segunda edição revisada, tem uma capa que me tocou na hora, e por isso fui ler do que se tratava. Gostei do tema do livro, li algumas páginas soltas paraver o estilo do autor e tive certeza que compraria o livro.

Este livro começa e termina com uma frase que resume todo seu conteúdo, sem que isso reduza a importância de tudo que é dito nele: “Há pessoas que nos roubam. Há pessoas que nos devolvem.” Este livro certamente é uma tentativa do autor de nos devolver.

O autor explora o que é subjetividade e as diversas formas como o sequestro pode ocorrer, e como o resgate pode nos devolver. Sem esgotar o tema, ele provoca reflexões profundas que me obrigaram a parar diversas vezes e… respirar. Depois do primeiro capítulo percebi que esse era o tipo de livro que eu levo mais tempo para ler, pois prefiro ler aos poucos e absorver seu conteúdo que, disfarçado na simplicidade com que o autor consegue exprimir seus pensamentos, é muito complexo e com muitas referências.

Fiquei positivamente surpresa ao ver o olhar generoso do autor com imperfeição humana. E essa generosidade me fez sentir acolhida ao longo do livro, uma sensação boa de que “está tudo bem”. E qualquer pessoa que já tenha passado por situações difíceis sabe bem a importância dessa situação. De não se sentir julgado. Apenas acolhido.

Recomendo muito a leitura, em especial para aqueles que estiverem buscando autoconhecimento, pois nos ajuda a ter um novo olhar sobre várias situações que vivenciamos ou assistimos na nossa vida.

Para saber o que outras pessoas acharam deste livro:

O que que eu ia falar?

Olho mágico

JuOrosco

A Menina que comprava livros

Anúncios

O País das Mulheres – Gioconda Belli

Fonte: O que você está lendo

Título: O País das Mulheres
Autora: Gioconda Belli
Tradutora: Ana Resende
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 220
Editora: Verus
Edição: 1ª

SINOPSE:

Como seria um país governado somente por mulheres?

Depois de sofrer um atentado em praça pública, a brilhante e sexy Viviana Sansón – presidenta de Fáguas, pequeno país latinoamericano, acorda na semiobscuridade de um galpão. Ali, Viviana vai se deparando com objetos que perdeu ao longo da vida como um guarda-chuva, óculos escuros, uma toalha, um anel, entre outros. Cada objeto faz reviver nela uma lembrança.

Pelas memórias de Viviana, vamos conhecendo a história fabulosa do Partido da Esquerda Erótica (PEE) e de suas integrantes, todas convictas de que o poder exercido pelas mulheres, com humor e amor, pode alcançar o que em séculos o poder masculino não alcançou.

Como “as eróticas” chegaram ao poder? Quem atirou na presidenta? O que vai acontecer com esse governo atrevido composto exclusivamente de mulheres? Este é um romance provocador e divertido, cuja originalidade dará muito o que falar para mulheres e também para homens.

 

O que eu achei desse livro?

Eu não esperava muito do livro. Primeiro por não conhecer nem a autora nem o livro. Eu vi o livro na parte de promoções, li a sinopse, curti a capa e, pelo preço de R$10 achei que valia a pena levar e ver no que dava. Então minha expectativa era bem próxima de zero. Confesso que decidi levar pelo tema – um governo de mulheres, e nunca tinha lido um livro com uma proposta feminista.

Sobre a história

A escrita é bem fluida, bem escrita. E eu comecei bem animada a leitura. Mas a história demora a emplacar, e eu cheguei a desistir dele por uns dias. O problema aqui são os argumentos. Gente, um vulcão que reduz a testosterona? Sério? Nem contos de fadas são tão ingênuos! Mentira são sim.

Mas o fato é que tudo se resolve em um conto de fadas. Pouco é visto de esforço, de trabalho duro. As histórias complexas de algumas personagens, se perdem no meio de soluções mágicas que aparecem do nada. Todo o trabalho duro das personagens que compõem o PEE ficam como pano de fundo, algumas são apenas pinceladas, e isso realmente me incomodou. Perece que a autora optou por tentar algo mais comercial, mais “comestível” sabe? Como usar filé mignon para um hamburguer.

É um livro em que a história contada tem coerência, é coesa, mas não cativa pois perde todos os ganchos maravilhosos que tem.

Para saber o que outras pessoas acharam deste livro:

O que você está lendo – Gabriela Antunes