Arquivo | janeiro 2011

Desiguais

“Se vc quer chegar a um lugar no qual a maioria não chega ..precisa fazer algo que a maioria não faz”



Essa frase definitivamente, mudou meu dia. O que vc pensa quando a lê?
Tente!
Faz vc sentir que sempre pode mais. Que sempre precisa estar correndo atrás de algo que quer. Ser diferente é ser especial. É ter algo a mais, é ser bem quista , bem vista, bem mais do que a massa, do que o habitual. Será que realmente fazemos tudo que somos capazes? Ou o sistema nos treina a sermos sempre análogos as situações…? Somos pessoas desiguais… Sempre! Mesmo vc tendo um irmão gêmeo, ele pode ser parecido fisicamente, mas igual, nunca! Temos variações em personalidade, temperamento, civilidade, físico, aptidões, disposições, propósitos. Como podemos ficar sempre no outono, se podemos nos esforçar e chega lá…. Perto da estação do sol? Profissionalmente, isso é fundamental. Essa moral se encaixa perfeitamente, e é o que define o sucesso! Fazer uma faculdade, ir pra aula todos os dias, fazer trabalhos, relatórios, estágios….Isso todo mundo faz. Agora saber encaixar as palavras, usar o dom do bom senso, conhecer o mercado, encarar os concorrentes, a sociedade, os riscos… Saber FAZER e SER na hora em que é necessário e não inutilmente, faz toda a diferença! Você já foi indispensável alguma vez na vida? Provavelmente já. E aposto que conseguiu o Máximo em auto-estima, serventia e consideração. Então seja imprescindível , necessário, obrigatório, e faça da sua vida algo incontestável!
Mensagem recebida por e-mail que eu adore!!!!

7

Esse Meme (e o Sete aí em cima também) eu peguei lá do Olva, no Traços de um Homem, vale a pena dar um pulo no blog dele e conhecer viu gente?

7 Coisas que tenho que fazer antes de morrer
Conhecer o Japão; Publicar minha monografia; Me tornar dançarina do ventre; Fazer sexo em Paris; Ir ao um Show da Shakira; Levar minha mãe para um Cruzeiro na costa brasileira.

7 Coisas que mais digo
Uhum. PQP. Entendi. Claro. Sim. Desculpa. Tá Bom…
7 Coisas que faço bem
Trabalhar. Estacionar. Carinho. Hackear programas. Pentelhar a familia. Estudar.

7 Defeitos
Ansiosa. Fria com novos conhecidos. Compulsiva. Chorar uma vez por mês (do nada e por nada). Shopper Lover. Bicuda.

7 Qualidades
Sorridente. Alegria quase infantil por coisas simples. Carinhosa. Atenciosa. Confiável. Fácil de agradar. Sexy.

7 Coisas que adoro
Francês, Japonês, Jogos, Namoro, Carinho, Sexo e Musica.

7 Coisas que detesto
Pessoas grosseiras, motoristas que compraram a carteira em algum lugar pois são muito ruins, não conseguir xingar as pessoas, dançar muito mal (rsrs), ainda não ter conhecido o Japão, pessoas falsas, jiló.

Já falei aqui que to solteira há 7 anos????

 [Imagem: Jadim do Amor… Poesias, Pensamentos… By Lú Fernandes]
PQP!!!
Hoje eu acordei e fiquei olhando pro teto. Meio pasma com a minha constatação ao acordar:
Eu to solteirissima há 7 aos!!!!
Caracas. Nem tinha me dado conta!
Não rolou um namorinha, um “Te ligo amanhã”, um “Boa noite”.
Nada de DR’s. Nada de aconchego vendo filme o sofá. 
Nada daquela intimidade típica e característica.
Nada de nada.
Desculpem os pudores e a educação (muito bem dada) que minha Mama me legou mas…
CARALHO!!!!
Sabe eu sempre fui CDF, NERD. Na adolescência coloquei os estudos beeemmm na frente dos namoros. Namorava apenas se não atrapalhasse meus estudos (dá prá imaginar que não fui muito namoradeira, né?). Entrei na faculdade e não mudou nada. Apenas o emprego conseguiu empatar com os estudos na precedência. Mas honestamente nunca imaginei que ficaria sozinha um tempo tão longo. Sei lá, foi estranho constatar isso.
O lado bom: Eu alcancei 70% dos meus objetivos de vida (os que eu tinha aos 18 anos) antes dos 25 anos. Além disso alguns amigos hoje dizem que deveriam ter tido minhas prioridades. Teriam se machucado menos e hoje teriam uma estrutura melhor para bancar sonhos e familia. Outro lado bom é que agora eu posso bancar minha 2ª pós-graduação (futuramente meu 1ª mestrado), planejar meu 1ºcruzeiro e ainda minha 1ª viagem internacional com muita tranquilidade. Também posso comprar aquelas bijus lindas e caras (odeio jóias e semijóias – acho muito caro para coisas das quais eu vou cansar muito rápido), sapatos e roupas sem me preocupar se vou estourar ou não minha conta. E me dar o luxo de usar La Roche Posay, marca que eu amo de paxão.
O lado ruim: Realmente bateu uma solidão estranha. Daquelas específicas. Que convivem lado a lado com a felicidade do dia-a-dia. Mas embota tudo com aquele espinhozinho básico. Sabe faltam apenas 2 itens para conquistar e ficar satisfeita com minha vida: minha casa própria e meu mestrado. Mas agora sinto falta de estar com alguém. Alguém para dividir tudo.
Como eu cheguei aqui? Jurando a mim mesma que nunca dependeria de nenhum homem, para nada. Sim é plausível e verdadeiro pensar que eu comecei a ter problemas com homens desde que eu nasci.
Então sim. Ficar sozinha foi, inicialmente, uma decisão inconsciente na minha busca por meu eu. Pelo meu Ego machucado. Remontando, polindo, curando. Mas agora. Agora nao. Agora se tornou um hábito, um escudo comum, habitual, constante. Eu simplesmente estou em minha zona de conforto afinal, para que enfrentar algo que já me machucou tanto? Que me tornou tão defensiva? Num conto que eu ouvi certa vez eu me classifico como ovo. Era mole inicialmente e me tornei dura após a dificuldade.
Mas beleza. É hora de sair da zona de conforto. Passo a passo. Extamente como uma Virginiana com ascendente em Capricórnio e Lua em Touro faz.Lentamente. Com segurança. Mas totalmente decidida a dar cada passo.