Arquivo | janeiro 2010

Masquerade

[Cá estou eu assistindo O Fantasma da Ópera de novo, apaixonada de novo e apreciando esse ícone dos musicais! E por isso copio a letra de uma das minhas partes prediletas]

Masquerade!
Paper faces on parade …
Masquerade!
Hide your face, so the world will never find you!

Every face a different shade ..
Masquerade!
Look around –
There’s another mask behind you!

Flash of mauve .. splash of puce …
Fool and king … ghoul and goose …
Green and black … queen and priest …
Trace and rouge … face of beast …
Faces …
Take your turn, take a ride on the merry-go-round …
In an inhuman race …

Eye of gold … thigh of blue …
True is false … who is who …?
Crul of lip … swirl of gown …
Ace of hearts … face of clown …
Faces …
Drink it in, drink it up, till you’ve drowned
In the light …
In the sound …

Masquerade!
Grinning yellows, spinning reds …
Masquerade!
Take your fill –
Let the spectacle astound you!

Masquerade!
Burning glances, turning heads …
Masquerade!
Stop and stare at the sea of smiles around you!

Masquerade!
Seething shadows, breathing lies …
Masquerade!
You can fool any friend who ever knew you!

Masquerade!
Leering satyrs, peering eyes …
Masquerade!
Run and hide –
But a face will still pursue you!

Masquerade!
Paper faces on parade!
Masquerade!
Hide your face, so the world will never find you!

Masquerade!
Every face a different shade!
Masquerade!
Look around –
There’s another mask behind you!

Masquerade!
Burning glances turning heads …
Masquerade!
Stop and stare at the sea of smiles around you!

Masquerade!
Grinning yellows, spinning reds …
Masquerade!
Take your fill –
Let the spectacle astound you…

Eles e Elas

[Será possível que os homens enfrentem os mesmos questionamentos que algumas mulheres?]

Sempre me fiz essa pergunta. O universo masculino sempre foi um mistério para mim. Pois apesar de ter muitos colegas homens, sempre percebi que os interesses masculinos tendiam ao caminho inverso do feminino. Enquanto as mulheres sonham com amor, carinho, um lar e tranquilidade. Os homens sempre falam de muito sexo, muitas mulheres e alergia ao casamento.

E embora eu sempre tenha tido no meu irmão, o Gatão, o meu referencial do tipo de homem que eu quero em minha vida, eu nunca havia encontrado nenhum homem que eu pudesse colocar no seleto grupo de homens a se admirar. Um homem que seja completo. Diferente do lugar comum.

Meu irmão é um homem de outro tempo, outro período. Cavalheiro, educado, atencioso, respeitador. Daqueles que, quando estão na frente da familia pega sua mão e te dá um selinho. nada daquele “quase sexo”que muitos casais fazem na frente dos familiares, e que eu acho de extremo mau gosto.

Além disso eu sou muito mais reservada quanto a relacionamentos que a maioria das mulheres. Não gosto de ficar. Detesto rolos. E sempre tenho esperado um homem que me transmita confiança, respeito, carinho, atenção. Um homem que queira ser meu companheiro, amigo. Que partilhe comigo valores que considero essenciais, mas são considerados caretas no mundo de hoje, como o respeito à família, aos próximos.

Some-se à minha caretice natural, meu jeito mais caseiro. E temos uma combinação que não favorece a quantidade de namorados. Honestamente? Ultimamente eu andava pensando que talvez fosse morrer solteira, pois é incrível como nos meus 23 anos eu nunca conheci ninguém que partilhasse comigo tudo que considero essencial.

E justamente por isso fui ficando por aqui, solteira mesmo. Mas muito feliz com minha própria decisão. Certa de que minha paciência seria recompensada com, pelo menos, paz de espírito.

.

.

.

.

Deu prá sentir que estou sempre usando o passado, não?

Eu explico mais tarde o por que…

[continua…]