LÅT DEN RÄTTE KOMMA IN – Deixe ela entrar – Suécia/ 2007


Consegui finalmente assistir esse filme e recomendo (altamente) esse filme. Delicado, sensivel e de alta qualidade. Essa é a típica produção que nos mostra que bons filmes existem e sempre existirão, desde que você saia do meio “Hollywood”. É um filme de vampiro, de vampiro criança, do primeiro amor. Filme (quase) fofo. Na verdade talvez seja o filme de vampiros mais sutil que eu já tenha visto. Tudo sem crucifixo, sem alho nem caixão.

Sinopse do filme: Oskar, um garoto ansioso e frágil de 12 anos, é freqüentemente provocado por seus colegas de classe mais fortes, mas nunca se defende. O desejo do menino solitário por um amigo se concretiza quando ele conhece Eli, uma garota da mesma idade, que se muda para a vizinhança com o pai. Séria e pálida, ela só sai de casa à noite e não parece ser afetada pelas baixas temperaturas. Coincidentemente, a cidade começa a ser assombrada por uma série de assassinatos e desaparecimentos inexplicáveis. Sangue parece ser o denominador comum a estes crimes, e para um garoto introvertido como Oskar, que é fascinado por histórias horripilantes, não leva muito tempo até ele perceber que Eli é uma vampira. Mas um romance não declarado surge entre eles, e ela lhe dá a coragem para lutar contra seus agressores. Para sempre congelada num corpo de doze anos, com todos os sentimentos e emoções confusas de uma adolescente, Eli sabe que só pode continuar a viver se seguir em frente. Mas quando Oskar finalmente vai para o confronto, ela retorna para defendê-lo usando a única arma que conhece.

SPOILER (Selecione para ler):

Um dia Oskar tá na frente da casa dele, treinando com uma faca pra tentar se defender dos moleques quando aparece uma menina estranha que começa conversar com ele e logo de cara já diz que não pode ser amiga dele. Ela ensina Oskar a ter coragem e diz que pode defendê-lo. E o laço de amizade dos dois vai aumentando, ao mesmo tempo que mortes vão ocorrendo por perto da casa deles. Nós sabemos o que acontece, Oskar quase sabe e a menina não tá nem aí pra quem saiba, ela só precisa se alimentar. Quando Oskar pergunta pra ela se ela é uma vampira, ela só responde que ela se alimenta de sangue. E quando ele pergunta pra ela sua idade, ela diz que tem 12 anos, há muito, muito tempo. E pronto.

O moleque começa a se defender e começa a ficar interessado na menina. Eles conversam por código morse, ela se importta se não está cheirando tão mal perto dele. Detalhes que mostram o interesse mútuo. O legal dessa sutileza que eu disse antes é que não necessariamente é pra esconder nada, muito pelo contrário. O diretor faz questão de mostrar o quanto a vampira precisa do sangue e não se importa. E o quanto ela é uma criança só e não toma cuidado com nada, como deveria. Ou como a gente acha que um vampiro deveria tomar cuidado ao matar, morder e se alimentar por aí.

Postagem alterada após publicação…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s