Swordfish

[O filme é muito bom!!!]

Quinta-feira passada passei por uma experiência muito desagradável (para entender melhor, leia o post de quinta…). E hoje tive outra surpresinha, dessa vez foi bem mais agradável.

Depois daquela mensagem absurda do personagem do meu passado resolvi responder pedindo que ele mantivesse distância de mim. Afinal, se a mensagem vem da caixa de e-mail de uma pessoa conhecida por você, por mais absurda que seja, você parte do princípio que o tipo é doido varrido, no mínimo bipolar, e providencia o spray de pimenta para qualquer emergência. (Sim eu assisto muito filme policial, de suspense e terror! ;P)

Mas hoje eu encontrei a resposta dele, com um pedido de desculpas e explicando que a caixa de e-mail dele foi acessada por outra pessoa, portanto a mensagem não foi enviada por ele.

Eu que não sou neurótica como algumas amigas minhas, parto do princípio que ele não está mentindo (ora, a mensagem é absurda e não combina nem um pouquinho com ele, não há motivo razoável para aquela ofensa e o mundo virtual não é um mar de segurança) então tá tudo ok. Voltamos ao normal, o corriqueiro. Mas é óbvio que vou observar o comportamento do dito-cujo (só pra ter 100% de certeza…). Confiança abalada dá nisso…

Mas isso me faz pensar em outra coisita. Que tipo de pessoa insana, invade a caixa de e-mails de outra pessoa e envia ofensas gratuitas para um contato? (não sei se outras pessoas foram ofendidas também, ou se eu fui a sorteada…).

Não basta invadir tem que sujar o nome da pessoa, fazê-la pedir desculpas pelo que fez, e ainda ficar com uma aura de desconfiança até que se ganhe a confiança da(s) pessoa(s) ofendida(s) novamente. Porque é óbvio que, mesmo o erro não sendo nosso, a gente sai pedindo desculpas pois usaram nosso nome. E como diz minha vó, nome é a única coisa que a gente tem de verdade. Isso deve ser doença! Loucura! Sei lá.

Meu irmão teve uma namorada que tinha um ciúme insuportável dele. Futricava nas coisas dele, lia e-mail, ficava insana com qualquer coisa que levasse uma assinatura feminina, ou não tivesse assinatura. Só não xingava as pobres colegas dele porque sabia que perderia o namorado se fizesse isso… Mas ela perdeu do mesmo jeito…

Pior é que a pessoa desenterrou uma história de meses atrás! Muita água já correu debaixo dessa ponte. Ele tá lá feliz com a namorada, eu to aqui feliz com meu rolo. Nós somos colegas e ponto final.

E se o doido que fez isso estiver lendo esse post (meu e-mail sempre tem o endereço do meu blogue na assinatura…): cria vergonha nessa cara e vai cuidar da sua vida, ser feliz! Lutar pos seus sonhos, correr atrás de seus objetivos. E deixe que as pessoas à sua volta cuidem de suas próprias vidas!

PS: O filme e o título se devem ao fato de que, cerca de 70% – ou mais – dos crimes digitais são facilitados pelos usuários que usam senhas simples, como o aniversário de um familiar, o próprio nome ou data de aniversário, ou por deixarem suas senhas gravadas no pc e roubadas por algum spyware e cia…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s