Amor e medo

[Se eu disser que estou perdida, coração na mão, sem idéia do que fazer com ele e de tudo que eu guardo dentro dele, você me espera decidir?]

Sempre que ouvia aquela frase: “O medo de amar é o medo de ser livre…” do Beto Guedes, nunca imaginei aplicar essa frase à mim.

Mas sim, tive que aplicá-la e me conscientizar do quanto venho sendo medrosa. Do quanto tenho perdido por ter medo. Das oportunidades, dos sonhos, do desejo. Venho permitindo que meu medo seja maior que eu. Pois ultrassá-lo traria novos desafios, novos horizontes, novas caminhadas.

Sabe, às vezes me esqueço que meu futuro está em minhas mãos, que eu controlo meus passos, que colho o que planto. Me esqueço que para conhecer meu futuro basta analisar meu presente, relembrar o passado. Não é grande o mistério que envolve o desconhecido depois disso. Detalhes não são revelados, mas as linhas gerais ficam ali, expostas ao seu olhar.

Ainda bem que de tempos em tempos Deus me dá sacudidelas, quase me arranca a cabeça. E então eu acordo para essas duras realidades. Percebo o quanto sempre temi o amor. Pois na minha cabeça amar nos expõe. E tenho pavor de me expor. Mas como amar sem se expôr? Impossível. Dai, por hábito, me escondia.

Mas esqueço que melhor escudo que o amor não há. Que quando nos expõe, ele nos une profundamente à Deus, que nos protege com uma aura invisível. Então, que eu consiga superar meu medo de amar. E que Deus me auxilie nessa empreitada que, eu sei, durará muito tempo. Mas que valerá a pena a cada instante.

Eu tenho medo, muito medo de amar.
Medo de amar e ser correspondida.
Medo de desejar tanto que me doa esse desejo.
Medo que meu desejo só se saceie nos braços dele.
Medo de querer tanto que ele seja feliz.
Medo de levar problemas para a vida dele.
Medo de saber o quanto elpode me fazer bem.
Medo de me libertar desse medo que me corrói.
Medo da consciência de ser ele o estopim rumo à liberdade.
Medo das mudanças que esse amor trará.
Medo de sair do conforto do medo conhecido.
Medo desse sentimento poderoso.
Medo do amor e seus superpoderes curativos.
Medo desse elixir de felicidade.
Medo do meu medo.
E medo ainda mair desse medo ser maior que eu.
E de nunca conhecer tudo que eu temo.
Por que meu medo é meu.
E dele me desfaço quando quiser.
E me desfaço dele no presente.
Presente de coragem que me acompanhará.
Na certeza de um destino melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s