Arquivo | setembro 2008

Pequenas Promessas 1

[Parar de pensar, planejar e arranjar desculpas…]

Pobres de nós mortais…
Todo mundo se achou aqui…

Anúncios

Pequenas verdades…

[Algumas observações sobre nós, seres superiores do sexo feminino, tenho que admitir a veracidade dos itens… Doa a quem doer…]

1. Nos comparamos sempre umas com as outras.
2. Somos altamente competitivas.
3. Somos naturalmente adaptadas à espera.
4. Detestamos homens débeis e fracassados.
5. Nos damos bem apenas com homens que ignoram nossas flutuações de humor e seguem nosso ritmo.
6. Instrumentalizamos o ciúme masculino.
7. Gostamos de enlouquecer eles com torturas mentais.
8. Sofisticamos a tortura mental como forma de compensar a fragilidade física.
9. Somos emocionalmente muito mais fortes do que os homens.
10. Somos pacientes.
11. Testamos e observamos reações.
12. Temos verdadeira loucura por homens que compreendam nosso mundo.
13. Nos tornamos inacessíveis após a conquista para que o homem preserve o sentimento que geraram.
14. Sempre tentamos descobrir o que eles sente nas várias situações. .
15. Constantemente observamos e avaliamos se, como e quanto eles necessitam de nós emocionalmente.
16. Levamos o homem que está “atrás” de nós para onde queremos
17. Nos tornamos emocionalmente dependentes de homens compreensivos, carinhosos, seguros, decididos e que, ao mesmo tempo, não dependem de nós emocionalmente.
18. Cultivamos no homem a dependência.
19. Sempre damos abertura para que outros nos cortejem e nunca admitimos
20. Detestamos adaptações. OU É OU NÃO É!

( Copiado-colado na cara dura de um site machista e adaptado….)

Precisava tanto te dizer…


Que és especial demais!

Precisava tanto dizer,

Que te sinto tão em mim.

Que já tentei te esquecer,

Mas não consegui, não fui capaz.


Que existem pessoas que nos marcam,
Profundamente…

Que nos fazem feliz, só por existirem.

Por vezes, quando estou sozinha

Corro estradas sem fim sem tempo para chegar


A lado algum, deixo-me ir…somente,


E tu estás sempre presente


No meu pensamento, no peito, no sangue que me pulsa


Forte…, bem forte nas veias.

Tenho medo,

Que não saiba como fazer, para não te machucar


Para não me machucar,


Para que fique em nós, sempre


O que de melhor sabemos dar, partilhar e sentimos.



O teu receio afasta-me,

O teu medo, trava todo o meu desejo


De te dizer…em palavras, o que realmente sinto por ti.

És uma luz que me ilumina

Nas trevas que me rodeiam


Nos medos que me sufocam


Nas incertezas que me destabilizam.



Como poderei algum dia explicar-te,

Que és…a parte doce deste sonho pesadelo


De acreditar que te tenho em mim, ainda que nunca possas ser meu?!




Como é bom, beijar-te

Como me sinto segura quando me abraças…

Fazes com que esqueça toda a tormenta,

Que é um dia ter que acordar deste meu sonho.

[autor desconhecido]

Pequena dose de poesia

[Sou nova demais para velhos vícios]
June A

Hoje eu não descanço em paz, porque o que sai de dentro não deixa.
São dores, cores, sabores e sons.
Tenho medo dos fantasmas do pensamento
Tenho raiva dos perigos da alma
Tenho responsabilidades inadiáveis
Tenho loucuras intermináveis
Tenho dor, cor, sabor e som que não são meus
Tenho , tenho, tenho…..
Sou assim, sou assado
Posso e não posso
Quero e preciso
Serena e neurótica
Ridícula e bela
Observadora e altista
Consciente e inconseqüente
Insegura e convicta
Comum e imprevisível
Água e fogo num corpo só
Machuco e curo
Rio chorando
choro sorrindo
E tenho o maior coração do mundo
Irremediável e indiagnosticavel
Amável e odiável
Assim desse jeito mesmo
E daquele outro
Contraditória…
Sim! Eu reparo na maneira como você usa os talheres!!!
E por favor, nao palite os dentes na minha frente.
Eu adoro sinceridades
Mas odeio o peso dela sobre meus ombros
Se a mentira fere
A verdade mata
Eu abomino falsidades
Mas amo o conforto que elas trazem
Uma vez precisei lembrar de uma mentira
Não pude…..
Ela já tinha se tornado verdade!
Por isso escrevo, porque o dia que não o fizer, serei pleno e
nesse instante de momento da existência,
saberei que escrever não será mais preciso.
Os passarinhos continuam cantando,
Apesar dos pesares.