Não me deixa assim

Aqui estou eu,
Pronta para enlouquecer,
Mas não fico escrevendo…
É nisso que dá a mania das letras,
do papel,
dos sonhos,
do amor.
Aliás, pensava eu
Que este último não bateira mais a minha porta…
Mas tudo bem,
sigo minha vida tentando desvendar
tudo isso que me rodeia,
confunde,
liberta,
anseia,
desespera.
Deixa assim…
Luxuria, desejo e tesão.
Amor, loucura e razão.
Pele, cheiro e sons.
Inocência, sorrisos e perdição.
Eu na tua
Você na rua
Eu tão nua
Você na lua…
Deixa assim como está…
Melhor não pode ficar
Ou nunca desejarei morrer
E correr o risco de perder
Tudo que sinto em mim
Tudo que ocorre assim
E assim.

Por June Alves

O que fazer?

O que fazer?
O que fazer quando você me olha?
Quando você me toca?
Quando você respira?
Eu não sei…
Precisar eu não preciso
Necessitar eu não necessito
Depender eu não dependo
Mas que quero, quero muito
Então… O que fazer?
Você bem que podia me ajudar
Você bem que podia colaborar
Mas tudo que você faz é complicar
Me confundir sem me ajudar
Você me leva da sanidade à loucura
Do habitual à procura
Da doce ilusão a realidade dura,
nua
E crua
Você só faz me emaranhar
Em sonhos bestas
Em devaneios ao luar
Mas… O que fazer?
O que fazer se só faço pensar em você?
Em seu sorriso?
Seu jeito tresloucado
Seu olhar
Seu jeito relaxado
Seu taurino louco!
Bobo!
Cruel!
Me deixa
Me liberta
Me deixa em paz
Mas não…
Você não deixa

Então age
Reaje
Demonstra
Apronta
Me toma de vez
E prova
Me prova
E comprova
Que a louca aqui sou eu
Que não sei o que fazer…

Por June Alves

Ah! Se ele soubesse….

Eu não quero um beijo implorado, forçado ou distraído… ñ quero um pedido de desculpas ou consciência pesada.
Eu quero um sorriso, um afeto, um afago, peito aberto, cumplicidade, conseqüência, um abraço, seus braços q me enlaçam… me atiçam, me ouriça, me avia, me doma…