Eu e… Você?

Tava satisfeita em te ter como amigo
Mas o que será, que aconteceu comigo?
Aonde foi que eu errei?
Às vezes me pergunto se eu não entendi errado
Grande amizade com estar apaixonado
Se for só isso logo vai passar
Mas quando toca o telefone será você?
O que eu estiver fazendo eu paro de fazer
E se fica muito tempo sem me ligar
Arranjo uma desculpa pra te procurar

Que tola mas eu não consigo evitar
Porque eu só vivo pensando em você
E é sem querer, você não sai da minha cabeça mais
Eu só vivo acordada a sonhar
Imaginar, nós dois
Às vezes penso ser um sonho impossível
Uma ilusão terrível será?
Eu já eu pedi tanto em oração
Que as portas do seu coração
Se abrissem pra eu te conquistar
Mas que seja feita a vontade de Deus
Se ele quiser então, não importa quando, onde
Como eu vou ter seu coração.

Eu faço tudo pra chamar sua atenção
De vez em quando eu meto os pés pelas mãos
Engulo a seco o ciúme
Quando outro apaixonada quer tirar de mim sua atenção
Coração apaixonado é bobo
Um sorriso seu, ele derrete todo
O teu charme, teu olhar
Tua fala mansa me faz delirar
Mas quanta coisa aconteceu e foi dita
Qualquer mínimo detalhe era pista
Coisas que ficaram para trás
Coisas que você nem lembra mais
Mas eu guardo tudo aqui no meu peito
Tanto tempo estudando teu jeito
Tanto tempo esperando uma chance
Sonhei tanto com esse romance

Que tola mais eu não consigo evitar
Porque eu só vivo pensando em você
E é sem querer, você não sai da minha cabeça mais
Eu só vivo acordada a sonhar
Imaginar, nós dois
Às vezes penso ser um sonho impossível
Uma ilusão terrível será?
Hoje pedi tanto em oração
Que as portas do seu coração
Se abrissem pra eu te conquistar
Mas que seja feita a vontade de Deus
Se ele quiser então, não importa quando, onde
Como eu vou ter seu coração !!!


“Em uma luta diária entre RAZÃO: Que bom que hoje eu ñ o vi! e EMOÇÃO: Que horrível que hoje eu ñ o vi! Nunca o senti tão perto, ao alcance, ao lado, sua presença, embora não física, perturba, altera, embaraça, emAranha meus sentidos… prega peças em minha cabeça, me faz poder tocá-lo, lembrá-lo, senti-lo com meus olhos, tateando passo a passo em um desejo surdo, insano, covarde, escondido, proibido, medroso, mas medo doq?
Desejo que vitima, que alude, que entontece…
Um desejo q se faz querer, que se faz haver, ser como se não fosse.. que inebria, que embriaga, que emana a cada palavra, a cada gesto, a cada olhar, que entrega tudo, a cada toque, senti-lo perto, permanecer longe, desviando, escondendo, abafando… oq se quer, oq se sente, oq se diz… oq se toca e ao tocar há o reagir: ainda rubro, ainda tímido, ainda suave, ainda medroso, mas medo do quê?
De se entregar? De se Iludir? De Machucar? De abrir mão? De se querer? De repetir? Ou de errar?
Simples medo do novo, do misterioso, da incerteza, do ato, da dualidade, do fato, do sentimento, do Medo, do desejo, do querer, medo por fim de MIM, de um fim, de um recomeço?”