Filete

Hoje lágrimas correram em silêncio por minha face.

Quentes, ácidas, doloridas.
A verdade com a qual me deparo é que nenhuma ferida permanece fechado por muito tempo,
principalmente as que nunca se fecharam.
Porque o grito que sai de mim se assemelha tanto ao um silêncio aterrador?
Por que a dor que destroça meu peito não passa de um leve arfar?
Por que por dentro eu pareço ser tão maior que por fora?
Canions, florestas, pantanos e planaltos e montanhas
Todos dentro de mim
Em minh’alma
Por fora apenas a imagem de mais uma bela garota.
Por que a máscara que me impus não contém lábios?
Por que não quebro-a e revelo-me?
Medo, insegurança
Timidez talvez…
O fato é que a cada dia a água fica mais límpida na superfície e mais turva na profundidade
Onde ninguém vê
Onde ninguém toca
onde ninguém sente
Queira Deus um dia isso se vá de dentro de mim
Queira Deus um dia eu tenha coragem de me purificar
Queira Deus um dia eu consiga…

Por June Alves

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s