GULA, UM PECADO GOSTOSO!

De repente, assim do nada, todas as pessoas que conheço se tornaram nutricionistas das mais chatas e irritantes, todos julgando no direito de dar palpite no que se refere a cardápios e/ou pedidos nos restaurantes. O singular momento da degustação se tornou uma ciência chatíssima e enfadonha , recheada com toda a sorte de números, tabelas e sites na Internet que nos informam as propriedades químicas do que ingerimos, além de decidirem o que podemos ou não comer, e é para a segunda opção que são enviadas todas as alternativas… hum… digamos, saborosas.
Ora, o paladar é um sentido tão importante e pessoal como qualquer outro e, portanto, as suas particularidades e preferências devem ser respeitadas como tal. Entretanto, o que não faltam são exemplos de pratos e bebidas que acabaram banidos (ou marginalizados) de nossas mesas por razões tão estapafúrdias quanto incompreensíveis.

Alguns são considerados bregas por já terem tido sua época áurea:

– estrogonofe
– coquetel de frutas
– fricassê de frango
– maionese de batata

A lista é interminável e a cada dia novos itens são acrescentados. O que ninguém sabe é quem foi o responsável por terem caído em desgraça ou mesmo se era um especialista no assunto.
Outras delícias acabam preteridas pelo fato de pertencerem ao grupo das “que engordam”: massas, doces e frituras.
Quer saber de uma coisa? Esqueça tudo isso… Esqueça a moda, o manequim anoréxico e doentio, os artigos pseudo-médicos feitos por não-sei-quem, os chatos e, principalmente, o que dizem os amigos e parentes. Vá sem medo, remorso, ou vergonha. De vez em quando não pode fazer mal, ao contrário: provavelmente vai lhe proporcionar uma enorme satisfação! E vai evitar ataques desesperados e repletos do sentimento vergonha…


– Não fique apenas na primeira: peça mais uma Coca-Cola – a Classic, naturalmente. Nada da pavorosa Light, agora Zero.
– Peça sua pizza sabor Banana com Chocolate, sim. E sem pudor! E com direito àquela deliciosa camada de castanhas de caju por cima e uma bolinha de sorvete de creme para acompanhar. Ou, se preferir, vá de lombinho canadense com catupiry. Ignore a cara de nojo de seu namorado (que, naturalmente, estará acompanhada de um brilho de inveja no olhar…)
– Molhe o pão no vinho. Mas não só a pontinha. Todo o pedaço, até ficar embebido e molinho. Ignore os olhares de censura e desfrute de uma só vez esses dois sabores tão antigos quanto a humanidade.
– Amasse abacate com leite ninho e maravilhe-se com esse sabor. E junte algumas gotinhas de limão para deixar tudo mais saboroso.
– Jamais deixe de apreciar seu pãozinho com azeite e sal.
– Coma muita pipoca no cinema!
– E nada de chocolate light na páscoa!

É engraçado como sempre que começo esse tipo de preleção imagino que posso estar exagerando. Aí me lembro de minha bisavó Maria, que aos 99 anos, comia seu pão embebido em vinho tinto, adorava o mesmo pão com azeite e sal, comia chocolate, carne de porco e tudo mais que desejava… Com seu bom humor imcomparável, disposição física invejável, e amor pela boa mesa, nos ensinou que não se deve comer nada e apreciar tudo!
Então… Satisfaça-se!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s