Eu estou atrasada!

White Rabbit - I am late

Eu estava atrasada.

Em tudo.

Livros, filmes, sexo, estudos, amor, família, amigos, diversão, vida.

Sempre dois dias atrasada. Um ano atrasada. Uma vida atrasada.

Há tanta coisa para fazer. Tanta gente para conhecer. Tanto para aprender!

É estressante estar aqui e estar atrasada.

Nunca há tempo suficiente…

Nunca haveria tempo suficiente.

Esses dias me deparei parada, olhando o tempo e as pessoas a minha volta.

Estava observando formigas e peixes.

A tensão tomou conta de mim.

Um alerta primitivo de perigo.

Levei dias para entender aquele estado.

Esse estado.

Uma vida atrasada e você não sabe mais o que é estar no tempo certo.

O risco de estar no tempo certo.

E ter tempo.

Seu próprio tempo.

Eu não estou mais atrasada.

Para Viver um Grande Amor – Carlos Drummond de Andrade

É preciso abrir todas as portas que fecham o coração.
Quebrar barreiras construídas ao longo do tempo,
Por amores do passado que foram em vão
É preciso muita renúncia em ser e mudança no pensar.
É preciso não esquecer que ninguém vem perfeito para nós!
É preciso ver o outro com os olhos da alma e se deixar cativar!
É preciso renunciar ao que não agrada ao seu amor…
Para que se moldem um ao outro como se molda uma escultura,
Aparando as arestas que podem machucar.
É como lapidar um diamante bruto…para fazê-lo brilhar!
E quando decidir que chegou a sua hora de amar,
Lembre-se que é preciso haver identificação de almas!
De gostos, de gestos, de pele…
No modo de sentir e de pensar!
É preciso ver a luz iluminar a aura,
Dando uma chance para que o amor te encontre
Na suavidade morna de uma noite calma…
É preciso se entregar de corpo e alma!
É preciso ter dentro do coração um sonho
Que se acalenta no desejo de: amar e ser amada!
É preciso conhecer no outro o ser tão procurado!
É preciso conquistar e se deixar seduzir…
Entrar no jogo da sedução e deixar fluir!
Amar com emoção para se saber sentir
A sensação do momento em que o amor te devora!
E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão,
Que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas!
Que foi seu grande desafio… e o passo mais acertado
De todos os caminhos de sua vida trilhados!
Mas se assim não for…
Que nunca te arrependas pelo amor dado!
Faz parte da vida arriscar-se por um sonho…
Porque se não fosse assim, nunca teríamos sonhado!
Mas, antes de tudo, que você saiba que tem aliado.
Ele se chama TEMPO… seu melhor amigo.
Só ele pode dar todas as certezas do amanhã…
A certeza que… realmente você amou.
A certeza que… realmente você foi amada.

A Obra de Guillermo Lorca

Guillermo_Lorca_Autoretrato.jpg

[Imagem: Autoretrato por Guillermo Lorca]

Guillermo Lorca é um pintor chileno cuja obra eu tive o prazer de conhecer em 2014, em uma visita ao Museu Nacional de Belas Artes em Santiago, no Chile.

Eu não sou nem pretendo ser expert em artes. Na realidade, a maioria dos artistas eu sei que são importantes pelo momento histórico e tal, mas não costumo realmente apreciar a obra sabe? Eu costumo dizer que em artes meu gosto é infantil. É coloridinho e fofo? Então eu provavelmente vou gostar.

Guillermo_Lorca_La.vida.Eterna

[Imagem: La Vida Eterna por Guillermo Lorca]

Guillhermo Lorca foi o primeiro artista que eu tenho vontade de olhar o dia inteiro. Eu não canso das pinturas dele. São bonitas, com um quê de violência, de sonho, de sensualidade, de inocência. Mexe comigo, com minha mente. E não é por ficar pensando na arte, é realmente apreciar a arte. Eu passei horas no museu olhando a exposição dele. Voltava para ver os quadros. Queria ver de novo. Na tela do PC é bonito, mas pessoalmente a arte dele é impressionante. Cada pincelada dele é… gostosa de ver, de sentir, e incomoda.

Guillermo-Lorca-Incendios-2013

[Imagem: Incendio II por Guillermo Lorca]

Pesquisando descobri que ele é um artista novo, filho de uma escritora. E já teve até matéria na Rolling Stones sobre ele. E o mais gostoso da obra dele é que não há um quadro predileto. Todos são realmente maravilhosos. Vale a pena conhecer.

Guillermo Lorca

[Imagem: Casita de Dulces II por Guillermo Lorca]

 

A Mulher de Virgem – 1

No Solteira Sinistra tem um post bem legal sobre “O Lado Secreto da Mulher de Cada Signo” e “Ela é de…” Gostei muito pois se adequa bem ao meu signo: Virgem, e resolvi compartilhar aqui.

virgem - Mustafa Soydan

[Imagem: Virgem por Mustafa Soydan]

A Mulher de Virgem

(24/8 a 23/9)

Qual é a imagem que tu tens da mulher de Virgem? Por acaso é aquela imagem de uma donzela vestida de branco, pura e frágil? Sinto muito em dizer que essa ideia não tem nada a ver com a verdade! A mulher de Virgem pode largar tudo o que tem para seguir uma nova paixão sem dar a mínima para os comentários ou julgamentos. Ela é uma mulher que pode ser muito determinada quando se trata de ir à procura da felicidade, esteja ela onde estiver! Uma vez que ela aceitar um amor como verdadeiro, esse amor estará acima de tudo. Ela é a única mulher capaz de ser terrivelmente prática e divinamente romântica. Apesar de ser uma mulher determinada, ela não é do tipo que se atira de cabeça sem gastar um bom tempo a analisar o que melhor deve ser feito. Também não é uma mulher que gosta de chamar a atenção como a leonina, ou que goste de aventuras e mudanças bruscas na sua vida. Não, para ela tudo deve ter uma certa lógica e um motivo.

Normalmente costuma ter um gosto afinado no geral e também na maneira de se vestir. No trabalho, ela é persistente e prática, e descobrirá os pequenos erros que até um perito poderia deixar passar. Quando ela resolve entregar-se a uma tarefa podes esperar que o resultado será o melhor! Ao te envolveres com esta mulher, ela se encarregará de todas as tuas preocupações, e provavelmente terás prazer nisto. Esta é a mulher perfeita para se discutir orçamentos e planos para o futuro. O que pode parecer um tédio para outras mulheres, para ela é um prazer. Uma coisa que é interessante notar na mulher de Virgem é que ela transmite sempre aquela sensação de que está preocupada com algo. A preocupação é algo natural nesta mulher. Elas simplesmente não conseguem relaxar completamente, se souberem que alguma coisa está por resolver. Mas não esperes ver uma fisionomia carregada ou carrancuda. Normalmente elas costumam ter uma aparência serena e sempre o mesmo sorriso discreto, olhar tranquilo e gestos calculados. Mas, mesmo possuindo este autocontrolo e este comportamento sereno, elas costumam ser devoradas por ansiedades que nem o mais íntimo dos amigos tem conhecimento!

virgem-yuhon

[Imagem: Virgem por Yuhon]

Apesar de ser uma perfeccionista, não quer dizer que seja perfeita. Ela tem os seus defeitos e estes podem ser muito irritantes. Elas acham que ninguém consegue fazer as coisas com tanta ordem e eficiência quanto elas. E o que irrita é que muitas vezes elas têm razão! A virginiana detesta quando é criticada abertamente. Se ela errar, diz-lhe com muito cuidado para não perderes a amizade. Ela tem mais facilidade para criticar os defeitos nos outros do que para aceitar os seus próprios. Não é que ela ache que seja perfeita. A virginiana é sempre muito crítica em relação à sua aparência, trabalho, alimentação e no amor, claro. Para ela não existe meio termo: ou consegue o melhor ou tem apenas o pior! Também não esperes ver esta mulher a ter sonhos ou ilusões sobre as pessoas mesmo quando está apaixonada. Ela é muito “pés no chão” e muito prática para se deixar levar por sonhos. Nem a taurina consegue ser tão prática quanto ela. Nem mesmo o amor consegue cobrir os olhos da Virgem e impedir que ela veja os defeitos e falhas do companheiro, durante o relacionamento. Demonstrações dramáticas de amor, promessas sentimentais e exagero, não só deixa a mulher de Virgem entediada, como podem assustá-la a ponto de nunca mais aparecer. Mas, o seu coração pode amolecer se for conquistada aos poucos.

Existem muitas formas de se conquistar esta mulher e manter a paixão. Mas a agressividade não está entre elas! A virginiana procura mais a harmonia e a tranquilidade num relacionamento do que paixões loucas e amores impossíveis! Também não é muito comum ver esta mulher a chorar por um romance do passado ou a entregar-se a um amor platónico. Para ela o que importa é o que está ao seu alcance, e o que acabou tem que ser enterrado para que outro homem ocupe o lugar vago! Mesmo que uma decepção amorosa tenha causado muita dor no seu coração, esta mulher consegue disciplinar os seus sentimentos e emoções a ponto de parecer que nem ligou ao fim da relação. Ela vai sofrer por dentro, mas este sofrimento não vai durar muito! Ela dificilmente se vai deixar levar pela ilusão de que colando os pedaços partidos vai conseguir refazer o que não tem mais conserto! Ela dedica-se totalmente apenas àqueles em quem confia, e as pequeninas coisas podem significar muito para ela. Apesar da sua timidez e tranquilidade, é bastante firme e forte o que faz com que os outros encontrem nela um porto seguro. A sua coragem e sentido de responsabilidade costumam servir de conforto para as pessoas que ama, quando as coisas não estão boas!

Virgem - Damon Hellandbrand

[Imagem: Virgem por Damon Hellandbrand]

Ela é de Virgem…

A tão célebre perfeccionista. Expansiva e sempre simpática, mas não se engane: só com quem ela quiser ser. Afinal, ela é realista, dessas que dispensa jogos e artimanhas, do tipo honesta demais; a ponto de lhe trazer incômodos e desafetos que talvez a boa convivência lhe pedisse que ao menos tentasse evitar.

Com ela não existem meios termos, a vida é composta de oitos e oitentas. E se quiser ficar com ela, tenha pique extra: sua hiperatividade vai te afogar ou afastar de vez. Ela é dessas que só se prende se quiser, que sabe que esse lance de par perfeito é só uma teoria romantizada e errônea de algo chamado amor, que na prática, é só uma questão de querer se adaptar.

Se for morno, ela foge rápido. Então faça-a querer ficar. E não espere grandes declarações nem promessas de amores infinitos, ela será dura com você como é dura com ela mesma: eterna exigência de melhora que pode fazer com que você queira superar constantemente ou com que você se canse rápido e vá embora.

Não tente fazê-la escolher entre razão e coração, já que ela é extremamente prática e lógica. Cuide dos detalhes, eles contam mais que grandes ações.

Doses diárias de afeto te surpreenderão enquanto ela estiver feliz ao seu lado. Não permita que ela se afaste: porque se ela decidir ir embora, dificilmente voltará.

Ficar com ela será um desafio diário. Afinal, enfrentar um gênio tao forte não é pra qualquer um.

Mas olha, menino, ela é de virgem! Faz tudo e não mede esforços por quem ama, é sempre sincera (mesmo que no início doa um pouco) e quer sempre ser melhor. Ela é analítica, organizada, detalhista.

Ela é um pouco rude, levemente bruta e um pouco cabeça-dura quando se trata de amor. Mas vem cá, menino: quem nunca gostou de um bom desafio, não é mesmo?

Ame ou deixe-a, pois ela é de virgem.

Texto de Amanda Armelin

Quando mudar se torna um desejo superior

DSC_0774

Universidade de Brasília: como não amar andar nessas suas trilhas?

Permanecer como é. Continuar onde está. Fazer como sempre foi feito. Essas são ações confortáveis. Podemos reclamar da vida, chorar que nada de bom ou novo acontece. Mas nada melhor do que continuar onde estamos.

Se eu me lembro das aulas de física no ensino médio, tem uma lei que dizia que um corpo parado tende a ficar parado. Primeira lei de Newton. Que os físicos me perdoem, leis da física não se aplicam a comportamento humano (ou se aplicam?), mas existem frases tão perfeitas que merecem ser imortalizadas por isso. Nesse caso, a primeira lei de Newton descreve tão perfeitamente, mas tão perfeitamente esse comportamento humano que seria abuso meu não usá-la.

E eu sou uma pessoa que gosta do conforto. Culpa do meu signo: Virgem, que adora a tradição, ou minha lua em Touro, que gosta de conforto mesmo. Ou talvez não seja culpa de ninguém. Para mim é um fato que mudanças são apavorantes. Viciantes para alguns.

Mas existe um momento, um desses dos quais não se escapa, em que mudar se torna um desejo superior ao permanecer. Em que o conforto de ficar se torna um incomodo, uma contrariedade. Existem os que resistem, ficam paradinhos esperando essa ânsia passar. Existem os que se agarram a ela e vão. E existem os que como eu, a usam para planejar como mudar (Virginiana com ascendente em Capricórnio minha gente).

E daí que você está sentindo essa vibração em que a mudança se torna cada vez mais necessária, e então você lê uma poesia. Esses momentos meio mágicos em que um poeta, anos atrás, escreveu o que você leria hoje, no momento exato, quase como uma predição do futuro que ele (o poeta) não sabe que fez.

É difícil mudar de pista
É difícil decidir mudar de pista
A vida exige movimentos bruscos
Não dá para abrir mão do retrovisor

Pedro Resende

Por que mudar não é nada fácil. Pessoas ficam chateadas. Você fica ansiosa. Pessoas se decepcionam com a imagem que projetaram em você. E você fica com medo do desconhecido. Por que mudar de pista é encarar o novo. É ir para um lugar onde você nunca esteve. É se dispor ao fracasso… e ao sucesso. Mas ficar não é mais uma opção. E saber disso te oferece a força de seguir.

Só não abra mão do retrovisor.

PS.: O Livro é Relatos, Extratos e Poesia.

1

Desconheço a autoria dessa foto. Se alguém souber agradeço a indicação.

Hoje, navegando pela internet li um texto da Maria Gabriela Saldanha e acabei me identificando demais com ele.

Como uma mulher que decidiu estar sozinha por muitos anos eu sei bem o “choque” que isso representa para quase todos que conheço.
Quando eu digo que estou só ouço logo um complemento como:
“-Alguém vai aparecer logo”.
“Você é uma mulher tão bonita! Como pode estar sozinha?”
“Mas nunca abandonada!” seguido de risos.
Entre outros.
Acho interessante que raramente alguém simplesmente ouve e entende que eu não estou sozinha por falta de opção, ou porque estou esperando alguém, ou porque estou curtindo a vida adoidada. Eu estou sozinha porque em um período da minha vida, essa foi a opção que me fez bem. Ainda me faz muito bem.
Estar sozinha me permitiu estabelecer uma rota firme de autoconhecimento. De aprender quem realmente sou, de estudar minhas crenças, de realizar sonhos meus. Alguns podem dizer que foi uma decisão egoísta. Foi. E não foi.
Foi egoísta pois meu foco era me construir, construir minha vida. Ser quem eu queria ser, e hoje sou.
Não foi egoísta porque jogar sobre os ombros de outra pessoa a responsabilidade pela sua felicidade é uma tremenda sacanagem. É desumano. Ser feliz por conta própria em um mundo de aparências e em que a felicidade é tão condicionada que é quase impossível alcançá-la já é difícil demais. Imagine ter que fazer isso por dois? Isso é egoismo para mim.
Eu decidi ficar sozinha porque eu precisava de mim mesma. Precisava descobrir meu amor próprio. Precisava me cuidar.
Hoje eu abro espaço para relacionamentos, para experimentar o outro. Mas ficar sozinha é, definitivamente, uma opção sempre disponível na minha vida.

É preciso ter coragem de estar sozinha também. E sobre isso ninguém nos ensinou. Ninguém vai nos ensinar. Há uma normatividade rígida se impondo sobre a afetividade feminina, mas dessa vez não fala de castração. Simula liberação. Para que ela se efetive, é preciso produzir em massa uma ansiedade quanto ao sexo, um desespero por parceiros, uma incompletude que nos rouba de nosso protagonismo e nos aprisiona – sendo esse o mesmo mecanismo da sensação de insuficiência física produzida pela ditadura estética e da sensação de insuficiência emocional produzida pela cultura romântica. A quem a insuficiência sexual está servindo? A quem o patriarcado serve. Falar disso, embora seja claramente um questionamento sobre até que ponto nossos corpos e sentimentos são realmente e apenas nossos, fatalmente soará como moralismo. É assim que querem que vejamos.

Antes de tudo, devemos admitir que as meninas fazem sexo cada vez mais cedo e que isso reflete um problema grave de gênero, uma vez que não fazem por mero instinto, mas porque há toda uma cultura que prega a obrigatoriedade da vida sexual. Independentemente de a infância ser uma construção histórica, a sua abreviação contemporânea é um interesse mercadológico. Elas fazem sexo para não se sentir socialmente inadequadas. A quantidade de vídeos de revenge porn de adolescentes tomando as redes sociais, a quantidade de letras de música falando de “novinhas” e o investimento pesado da indústria e da mídia na erotização infantil demonstram que há toda uma legislação subjetiva determinando a hipersexualização da mulher desde muito cedo.

Tudo à nossa volta constrange, impele, coage para o sexo. Mostrar-se sexualmente ativa, intensa e frequente é garantia de privilégios. Ora, o patriarcado é sobre sermos coadjuvantes: dos processos políticos e de nossas vidas. À frente, sempre a figura masculina, determinando o nosso manuseio correto. Logo, não só os homens gozam de um conjunto de privilégios, é preciso também “conceder” aparentes benefícios às mulheres, incentivando a competição entre elas, para que elas acreditem que há alguma forma de premiação dentro desse sistema. E as mulheres são “premiadas” segundo diferentes critérios: submissão aos padrões de beleza, ajuste à moral e aos costumes (mulheres relacionáveis), disposição sexual e capacidade de proporcionar prazer ao homem (mulheres consumíveis)…
Na contemporaneidade líquida, os falsos privilégios femininos estão ligados especialmente ao consumo sexual, de modo que as mulheres precisam comprovar que são livres, donas de seus corpos e bem-resolvidas, mantendo uma aura de autonomia. Essa autonomia sexual precisa ser aparente, não pode representar, em hipótese alguma, uma ruptura com o patriarcado, ela é uma ficção de uso, uma licença. A apropriação da homoafetividade feminina como fetiche é um exemplo de como a liberdade sexual feminina é encarada como uma concessão. Essa autonomia também vende o produto feminino com uma garantia de blindagem emocional: a mulher bem resolvida dá menos trabalho, não precisa de tantos cuidados no trato, não se melindra com qualquer gestozinho agressivo, não demanda tanto desgaste na sua administração.

É interessante para o patriarcado que a nossa sexualidade seja estimulante, garantindo o entretenimento em longo prazo ou o descarte imediato, como todo bem de consumo. Quase nos esquecemos de que existimos para nós, quase nos condenamos a bobas da corte. Agora somos máquinas de prazer. Democratizamos e afirmamos, assim, o sexo como mercado: somos todas profissionais de alguma maneira, eis o sonho machista realizado. O que não representa, de modo algum, a problematização da pornografia ou a libertação da mulher em situação de prostituição, ela permanece segregada e violável.

Resta claro como o patriarcado subverte os nossos processos e rouba a cena que jurávamos protagonizar. Quantas outras causas pensamos alavancar e correm esse mesmo risco? Ou já foram sequestradas e ainda não percebemos? Diante de um sistema que corrompe e usurpa até mesmo a idéia de empoderamento por meio de uma sexualidade mais livre em prol do prazer masculino, o que parece definitivamente libertário? Respondo: o triunfo sobre essa ansiedade por parceiros e pela consagração sexual dentro do jogo de falsos privilégios dados à mulher. É no estado de solitude que essa solidão devastadora e insaciável perde a força. É quando tomamos coragem de romper com a obrigatoriedade de um parceiro, com esse desespero por companhia e afirmação sexual que finalmente podemos empregar a nossa energia em atividades diversas, que nos permitam tomar o mundo, que nos apresentem uma perspectiva de igualdade de gênero a respirar fora da guerra dos sexos. Ou o contrário: é quando empregamos a nossa energia em atividades que nos façam tomar o mundo, que nos apresentem uma perspectiva de igualdade de gênero respirando fora da guerra dos sexos, que tomamos coragem de romper com a obrigatoriedade de um parceiro, com esse desespero por companhia.

De qualquer modo, é preciso autoconhecimento. A nossa intimidade sempre foi objeto de disputa e controle, nunca nos pertenceu. Parece improvável que realmente a gente venha a conhecer relações mais saudáveis e justas sem que haja uma retomada e reconhecimento dessa intimidade, para que nunca mais fique ao cálculo dos interesses culturais, sociais e econômicos traçados pela supremacia masculina. Precisamos nos explorar mais, somos um universo desconhecido para nós mesmas. Aprender a ficar só e a ser por inteiro, virando o tabuleiro da manipulação afetiva e sexual, pode ser um passo determinante para nos desintoxicar de séculos viciadas em submissão, competição e aprovação. Se mesmo o nosso protagonismo em algumas questões pode ser uma ilusão de ótica, aprender a estar consigo e a preencher-se de companhias não sexuais (notem como a sororidade é imprescindível), de objetivos que nos obriguem a ir além de nós e que restaurem o óbvio – não somos as nossas emoções, NÓS TEMOS AS NOSSAS EMOÇÕES – podem ser os únicos passos concretos para a descolonização e autodeterminação femininas.

Link original da mensagem no Facebook.

Lista de Presentes 2015

Para todos que desejam me presentear com um lindo presente no meu aniversário (o dia mais lindo do ano), montei uma lista de presentes que servem de inspiração.

plaquinha-divertida-p-ambientes-30-anos-pretinho-basico

Para ver a sugestão é só clicar no nome que abrirá uma página.

MAQUIAGEM

Eu tô lotada de de maquiagens então só vou sugerir um item.

Batom Líquido Mate – Quem Disse Berenice? / Preço: R$25,52

Cores desejo: Nudeli, Rosadili e Uvali.

LIVROS 

Nunca são demais!

Roupas

Essas são para inspirar

Bijuterias 

Sou alérgica a níquel! Só posso usar bijus que não tenham esse componente. Eu sei que na C&A e na Rommanel as bijus não tem níquel. Então podem investir nessas lojas.

Outras inspirações

Não quero ser filtrada!

filtro-dos-sonhos-wallpaper

Eu estou cansada de filtros. Não falar tudo que quero. Não fazer tudo que desejo. Não amar tudo que posso.

Todos nós passamos a vida sendo filtrados. Uma loooonga vida de filtros. Não faça isso, não faça aquilo. Mulher não pode isso. Homem não pode aquilo. Todo mundo é cerceado, cortado, impedido de fazer isso ou aquilo. De falar uma coisa ou outra. São tantas cercas que se acumulam e chega uma hora em que tem mais cercas e muros que campo para caminhar.

Dizem que os filtros são bons. Eu não sei. Filtrar pressupõe algum tipo de impureza que não deve fazer parte do conteúdo final. O pó não deve ficar misturado ao café. E o que se faz com o conteúdo filtrado? Normalmente é lixo, seja ele orgânico ou não. O destino é o lixo. Mas onde fica o lixo do que filtramos em nós mesmos? Para onde vão todas aquelas palavras presas? Todo o amor contido? Toda a raiva represada? Para onde vai toda essa “impureza”? Nós não temos um lixo onde jogar tudo isso. E fica tudo guardado, dentro de nós. Tudinho.

O lixo vai acumulando, “fedendo”, estragando. E nós vamos ficando cada vez mais insatisfeitos com nossa vida sem nem saber o por que. Vivemos irritados com a sombra de todas as palavras não ditas que se acumulam em nossas línguas. Nos sentimos depressivos pelo amor que foi ofertado e está ali, represado, nos sufocando. Temos tiques com todos aqueles gestos e ações que se acumularam em nossos músculos, na nossa carne.

Eu sei bem que não dá para fazer tudo que se quer, nem falar tudo que nos vem a ponta da lingua. Mas e quando esses filtros se tornam tamanhos, que não conseguimos ser nós mesmos? Quando nos tornamos outra pessoa para atender todos os filtros que adquirimos ao longo da vida? O que fazer?

Boa pergunta.

Muito boa pergunta.

Programa Quadrinhos

Em 05 de junho de 2013 eu participei do Programa Quadrinhos falando sobre a HQ Fallen Angel  a convite do Edson Wilson. Foi uma experiência completamente diferente do que eu estava acostumada, fiquei muito nervosa mas saiu e… eu gostei. Desde então já participei algumas vezes, e a cada participação eu me sinto mais confiante com microfone e falando sobre algo que eu curto muito, que são os quadrinhos!!!!!

Então resolvi linkar aqui os programas dos quais eu já participei e recomendo a todos que curtem os quadrinhos a conhecerem o programa que é feito com muito carinho pelo meu amigo Edson Wilson!

Fallen

Link para Programa Quadrinhos: http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=70 

Data da Entrevista: 05/06/2013

Editora Original: Mythos

Roteiro: Peter David

Sinopse: Vagando pelas ruas sinistras da cidade sobrenatural chamada Bete Noire, a criatura que outrora foi um anjo da guarda atua como uma devastadora força tanto do bem quanto do mal. Um ser divino banido do Paraíso, cujo passado permanecia há muito tempo envolto em mistério. até agora.

O multipremiado escritor Peter David (Hulk, X-Factor, Homem-Aranha, Jornada nas Estrelas) revela a comovente origem de sua mais elogiada criação. Em uma trama inquietante, Anjo Caído se vê diante de uma sedutora proposta capaz de reverter os rumos de sua existência. Porém, tudo tem seu preço. Se quiser aproveitar essa chance de redenção, ela terá de abandonar para sempre todos os vínculos com o plano terreno, inclusive o maior deles. seu filho.

Com a bela arte pintada de J. K. Woodward (Jornada nas Estrelas, X-Men: Origens, Transmetropolitan), a inédita minissérie Servir no Paraíso marcou a estreia do aclamado título Anjo Caído em sua nova casa editorial, a IDW Publishing, e está chegando ao leitor brasileiro em mais uma edição de luxo com a qualidade Mythos Editora.

Days Gone By

Link para Programa Quadrinhos:  http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=73

Data da Entrevista: 15/06/2013

Editora Original: DC (2003 a 2005) e IDW (2005 até agora)

Roteiro: Peter David

Sinopse: Uma epidemia de proporções apocalípticas varreu a terra, causando a morte que se alimentam da vida. Em questão de meses, a sociedade se desintegrou: Não há nenhum governo, nenhuma loja de supermercado, não há entrega de correio, nem TV a cabo. Rick Grimes encontra-se como um dos poucos sobreviventes de seu terrível futuro. Alguns meses atrás, ele era um policial de uma pequena cidade, que nunca tinha disparado um tiro e só viu um corpo morto. Separado de sua família, ele resolve agora encontrar sua esposa e filho através de toda a morte e confusão. Em um mundo dominado pelos mortos, somos forçados a, finalmente, começar a viver.

Kill your boyfriend

Link para Programa Quadrinhos:  http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=73

Data da Entrevista: 21/08/2013 

Editora Original: Vertigo

Roteiro: Grant Morrison

Sinopse: Uma garota entendiada. Um cara sem rumo. Quando os dois se encontram, dividem uns goles de água e decidem dar um jeito na chatice da vidinha dela, a começar pelo totem de caretice que é seu namorado, um gordinho que prefere se masturbar diante de filmes pornôs a desvirginar a mocinha.

Depois de assassinar o garoto, os dois partem para uma aventura que envolve transformismo, drogas, bissexualismo, música eletrônica, pop art, assaltos, suicídio e infanticídio.

y the last man

Links para Programa Quadrinhos

Parte 1 gravada em 11/12/2013: http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=142

Parte 2 gravada em 18/12/2013: http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=145

Editora Original: Vertigo

Roteiro: Brian K. Vaughan

Sinopse: Em 2002, o planeta Terra mudou para sempre. Todas as criaturas com um cromossomo Y morreram instantaneamente ao redor do globo. Com a perda de mais da metade da população, a sociedade fica à beira do colapso e cabe às mulheres o fardo de juntar os pedaços e tentar manter nossa civilização. Mas esse “generocídio” não foi tão completo assim. Por alguma misteriosa razão, um jovem e seu macaco de estimação foram poupados do gigantesco extermínio. Do dia para a noite, esse desconhecido de vinte e poucos anos virou o único homem do planeta e a chave para decifrar o mistério que varreu o sexo masculino do mapa.

safety behind bars Link para Programa Quadrinhos:  http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=262

Data da Entrevista: 19/02/2014

Editora Original: DC (2003 a 2005) e IDW (2005 até agora)

Roteiro: Peter David

Sinopse: Este Volume segue o nosso grupo de sobreviventes, onde eles montaram um acampamento permanente dentro de uma prisão. Mudança nos relacionamentos, personagens morrem, e nossa equipe de sobreviventes sabe que há algo muito mais mortal do que zumbis lá fora: uns aos outros.

Uma epidemia de proporções apocalípticas varreu a terra, causando a morte que se alimentam da vida. Em questão de meses, a sociedade se desintegrou: Não há nenhum governo, nenhuma loja de supermercado, não há entrega de correio, nem TV a cabo. Em um mundo dominado pelos mortos, somos forçados a, finalmente, começar a viver.

250px-28_Days_Later_01

Link para Programa Quadrinhos:  http://utopiafm.com/programaquadrinho/index.php?pagina=pag/programa&id=264

Data da Entrevista: 05/03/2014

Editora Original: Fox Atomic Comics

Roteiro: Steve Niles

Sinopse: Baseado no grande sucesso do cinema 28 Days Later (no Brasil, Extermínio) e escrito pelo excelente Steve Niles, a primeira parte – Extermínio: Aftermath – nos narra os momentos iniciais do contágio e como se desenrolou a infestação em Londres e posteriormente em todo a Inglaterra. É terror, é suspense e… é de ZUMBIS.
Algumas pessoas fazem bobagens por fama, burrice ou curiosidade. Outras por redenção. No grupo que resolve voltar a Londres depois dos acontecimentos do último mês existe dos vários tipos. Acompanhe nossos “corajosos” aventureiros. É sobre eles a segunda parte da série…